IED | Istituto Europeo di Design
Você está em:

Como escolher seu curso de Design Thinking

24 de Abril de 2017

Não temos como escapar: design thinking é o termo da vez quando se fala no hype do mercado, capítulo de termos.

Então como fazer para entender esse mundo (spoiler: que não se aplica apenas ao design!) e escolher o melhor lugar para se especializar e dar mais uma alavanca para seu sucesso profissional?

 

 

É o que fomos descobrir em um super bate-papo com Fábio Silveira, professor responsável do curso de extensão em Design Thinking do IED São Paulo. Confira:

IED SP – No universo de empresas, ONGs, formação profissional, imprensa etc., o termo Design Thinking está em alta. Mas, afinal, o que é Design Thinking?
Fábio – Design Thinking é uma abordagem de pensamento direcionado para a resolução de problemas complexos utilizando o mindset do design. Justamente por ser uma abordagem, e não uma metodologia, podemos utilizar ferramentas de criatividade que são muito usadas no universo do design, em qualquer área. Isso faz com que pessoas com formações muito diferentes possam usar o Design Thinking na sua empresa, numa ONG, numa escola, num hospital, etc.

IED SP – É algo só para designers?
Fábio – Como disse, o Design Thinking é direcionado para qualquer profissional que queira abordar um novo olhar sobre processos, produtos e problemas da sua área. Inclusive este é um dos grandes méritos desta abordagem: trabalhar com profissionais que pensem e abordem um problema sob uma ótica diferente. Com isso temos uma visão sistêmica do problema e a solução tende a ser mais ampla do que quando é feita por especialistas.

IED SP – Como pode ser utilizado o Design Thinking? Você poderia dar alguns exemplos?
Fábio – O Design Thinking pode ser utilizado de diversas formas para diversas finalidades. Podemos aplica-lo em um processo completo ou apenas em uma parte menor visando melhorias pontuais. No campo da educação, um projeto da qual participei em sua implantação aqui no Brasil, visa capacitar professores para aplicar o design thinking nas escolas buscando mudanças tanto nas questões que envolvem a infraestrutura da escola, quanto as dinâmicas da sala de aula, passando também pelas ferramentas de gestão e processos e podendo alcançar até o sistema de ensino. Apliquei esta dinâmica em algumas escolas e o resultado foi surpreendente. A grande diferença é conduzir os profissionais especialistas em suas áreas a ter um olhar diferente sobre o que já fazem comumente e potencializar o pensamento criativo dessas pessoas para buscar soluções inovadoras. Considero a aplicação do design thinking muito flexível e que pode ter uma grande elasticidade de aplicações de acordo com a necessidade

IED SP – Qual a importância atual do Design Thinking para as empresas?
Fábio – Creio que a maior entrega do Design Thinking para as empresas seja a possibilidade de mudança do mindset linear que muitos processos implantam. Dar vazão ao lado criativo das pessoas e envolve-las no processo de solução, faz total diferença para alcançar um resultado inovador. Fazer com que os gestores, diretores e líderes das empresas — não importando o tamanho da empresa — utilizem esta abordagem de inovação de forma sistêmica e coerente nas empresas, também se faz necessário, para que tenhamos um processo coeso e com transformações profundas na construção de produtos e serviços inovadores. Não adianta aplicar o Design Thinking em um workshop de final de ano na empresa e logo depois voltar a velha forma de pensar negócios, produtos e serviços, é importante que adoção do design seja feito na essência e na cultura da empresa.

IED SP – Em que setores, departamentos, áreas você vê possibilidades de aplicação do Design Thinking?
Fábio – Todas as áreas de uma empresa podem utilizar o Design Thinking. como falei anteriormente o que demanda energia é a mudança de mindset e a ampliação do potencial criativo dos colaboradores em busca de novos caminhos de solução. O Design Thinking apresenta ferramentas para esta busca.

IED SP – Quando e onde surgiu esse termo?
Fábio – Alguns nomes estão associados ao surgimento deste termo. Existem registros associados ao economista Herbert Simon, Prêmio Nobel de Economia de 1987 e também ao professor Peter Rowe da faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Harvard. Porém esta abordagem ganhou um alcance maior com a publicação do artigo de Richard Buchanan em 1991 e as matérias escritas por Tim Brown para a revista Harvard Business Review em 2008 e livros importantes sobre o tema do professor Roger Martin, diretor da escola de Negócios de Toronto.

IED SP – E na Educação? Também se usa Design Thinking?
Fábio – Sim, a educação passa por um período de profunda transformação em diversos aspectos. O pensamento de design pode contribuir bastante com esta mudança. Projetos desenvolvidos pela IDEO, como o Design Thinking for Educadors abordam diretamente com educadores e toda a comunidade escolar a questão das mudanças necessárias para a educação dentro de quatro eixos fundamentais: Currículo escolar; Espaços; Processos e Ferramentas; Sistemas educacionais. Existe também a versão brasileira deste projeto que você pode encontrar no site [http://www.dtparaeducadores.org.br/site/]. Diversos outros projetos também utilizam esta estrutura para a criação de projetos escolares com o pensamento de design como é o caso do Design for Change, criado pela indiana Kira Bir Sethi e que você pode encontrar mais informações aqui: http://www.dfcworld.com/ e no Brasil o site com as informações deste projeto estão aqui: http://criativosdaescola.com.br/

IED SP – O Design Thinking pode ser um diferencial na carreira? Por quê?
Fábio – No período em que vivemos de transformações em diversas áreas profissionais, vejo que o aprimoramento das competências que envolvem a criatividade e empatia são mais do que necessárias. O Design Thinking trabalha diretamente com estes pilares, além de explorar de forma criativa fundamentos importantes no trabalho com equipes multidisciplinares. Creio que seja um caminho sem volta, atribuir o processo de Design Thinking no dia a dia das empresas e instituições das mais variadas atuações. O profissional que tiver este conhecimento e a experimentação na prática terá sem dúvida uma diferenciação importante neste cenário.

 

Para saber mais sobre o curso de Design Thinking do IED São Paulo, acesse: //ied.edu.br/sao_paulo/curso/extensao/design-thinking/


Camilla Carvalho

É jornalista e especialista em redes sociais. Trabalha como produtora de conteúdo, é content hunter do IED São Paulo e fundadora do www.mademoiselleparis.com.br.
Instagram: @mademoiselleparis


IED SÃO PAULO
Rua Maranhão, 617
Higienópolis
01240-001
+55 11 3660 8000

IED RIO
Av. João Luis Alves, 13
Urca
22291-090
+55 21 3683 3786

SÃO PAULO RIO DE JANEIRO MILANO ROMA TORINO VENEZIA FIRENZE CAGLIARI COMO BARCELONA MADRID