Quando se fala em gamificação, o que você pensa? É algo de outro mundo? É um bicho de sete cabeças? 

Se você acha isso, fica tranquilo. O conceito é mais simples do que você imagina. E se não o utiliza no dia-a-dia, provavelmente já se deparou com alguma ferramenta de gamificação sem nem mesmo saber.

Quer descobrir mais sobre o assunto? Então leia o nosso texto de hoje!

Afinal, o que é gamificação? 

A gamificação é quando há a aplicação das estratégias dos jogos no cotidiano. 

Embora o conceito exista desde os anos 1970, a criação e divulgação dele é atribuída ao programador britânico Nick Pelling, no início da década de 2000. Isso porque a gamificação, no início, era associada à programação e ao desenvolvimento de softwares.

Quais os tipos de gamificação existentes?

Os principais tipos de gamificação são:

Gamificação em treinamento corporativo

É o treinamento gamificado direcionado para os colaboradores em uma empresa.

Gamificação no onboarding 

É aquela que facilita a integração entre a equipe. Também é uma forma de apresentar a empresa de maneira mais descontraída aos novos funcionários.

Gamificação na educação

Quando é aplicada no contexto escolar, como o nome sugere. Tem sido usada para ajudar no desenvolvimento e na participação do aluno em sala de aula. 

Além disso, esse tipo de gamificação tem o propósito de trazer estímulos externos que colaborem para a aquisição de conhecimento. 

Gamificação no marketing

No mundo do marketing, as ações de gamificação têm a intenção de fortalecer o vínculo entre marcas e consumidores.

Gamificação na saúde

Na área da saúde, os jogos podem auxiliar o paciente durante o tratamento e a adoção de hábitos mais saudáveis, como a prática mais frequente de atividade física e uma dieta mais saudável.

Gamificação e engajamento social

É o tipo de game usado para estimular a sociedade a se envolver em práticas mais engajadas, como fiscalização de contas públicas e campanhas de doação. 

Como a gamificação pode ser aplicada no ambiente de trabalho?

No mundo corporativo, o uso da gamificação ajuda os colaboradores a adquirirem mais conhecimentos e desenvolve habilidades essenciais para o sucesso profissional. 

Além disso, essa inovação pode ser usada como ferramenta de feedback aos funcionários e um recurso eficiente de gestão. Por ela, várias habilidades podem ser exploradas:

Competência

Como e o quanto um colaborador pode evoluir em uma empresa e profissionalmente.

Informação

A gamificação colabora para o compartilhamento de informações e conhecimentos. 

Em plataformas gamificadas, é possível adaptar as tarefas aplicadas no cotidiano, por meio de metodologias eficazes.

Organização

Os jogos ajudam na entrega e no cumprimento de metas. Isso porque frequentemente eles contam com fases nas quais o funcionário precisa superar determinados obstáculos. Por consequência, isso obriga a pessoa a melhorar o seu desempenho.

Outra vantagem é que as plataformas gamificadas contam com um sistema de feedback no qual o jogador sabe o quanto está progredindo e/ou precisa melhorar em relação ao desafio proposto no jogo, com o propósito de mantê-lo engajado na meta que deve ser atingida na empresa.

Alguns exemplos de aplicação da gamificação nas empresas

A seguir, confira algumas práticas bem-sucedidas de gamificação em grandes empresas.

Starbucks

No Starbucks, a estratégia funciona por um programa de fidelidade, no qual os clientes são

incentivados a participar de um programa. Nele, é possível ganhar estrelas e, em troca, os consumidores podem adquirir benefícios e produtos gratuitos.

Waze

Outro exemplo é o aplicativo de trânsito Waze. Por ele, são divulgadas informações de trânsito aos usuários. 

Em troca, os usuários são bonificados com avatares, pontos e uma posição no ranking global. 

Quais são os benefícios da gamificação nos negócios?

Além de trazer algumas vantagens já listadas acima, a gamificação em uma empresa pode ser uma arma eficaz para aprimorar diversas questões internas, como algumas a seguir.

Democratização

Os jogos têm a tendência de agradar a todos, independente da faixa etária. Por isso, a gamificação pode ser usada no ambiente corporativo, de maneira informal e para reforçar valores do ambiente de trabalho.

Basta desenvolver atividades específicas ao público-alvo da estratégia, considerando seus gostos, necessidades e expectativas, para que a gamificação estimule os usuários a atingirem as suas metas. 

Uso em vários processos

Outra funcionalidade da gamificação é a possibilidade de seu uso em várias atividades. 

Nas universidades, ela pode ajudar a melhorar os processos de aprendizagem. Já nas empresas, pode ser usada para a integração de funcionários, treinamento corporativo, comunicação interna, entre outras tarefas do dia-a-dia.

Persistência

O jogo cria um senso de persistência no competidor. Por mais que ele erre, a tendência é que queira recomeçar e adquira mais motivação para passar de fase e bater recordes. 

Otimismo

A persistência também ajuda os participantes dos jogos a se manterem otimistas para alcançarem os resultados desejados no game

Com isso, eles estudam estratégias para ficarem firmes no jogo e trabalham duro para conseguirem as recompensas, o que certamente se reflete no ambiente de trabalho. 

Cooperação

Os jogos gamificados geralmente são em grupo. Ou seja, várias pessoas se envolvem em uma mesma missão, o que aumenta o senso de coletividade. 

Os membros da equipe precisam confiar uns nos outros e trabalhar focados para alcançar o resultado desejado ao fim do jogo. 

Melhora do clima interno da organização

Por se tratarem de atividades lúdicas, a gamificação colabora para ambientes mais leves de trabalho e o entrosamento entre as equipes. 

Possibilidade de desenvolvimento pessoal e profissional

A gamificação contribui para melhorar determinadas habilidades, como a capacidade de socialização, além de reforçar ou aflorar o espírito de liderança e o respeito às regras. 

Uso de dados

As plataformas gamificadas oferecem relatórios detalhados do desempenho de seus usuários. Com isso, é possível verificar se as estratégias implementadas pelo setor de Recursos Humanos, por exemplo, estão dando certo, bem como a performance geral de turmas e equipes. 

Combinação com outras estratégias

O melhor da gamificação é que ela é uma metodologia flexível que pode ajudar na melhora de outras ferramentas já adotadas na realidade das empresas. Isso contribui também para o aumento de resultados

Conheça 5 livros sobre gamificação

É claro que a gamificação é uma área extremamente promissora para o designer e, como tal, exige estudo e qualificação para se destacar na área. 

Por isso, se você chegou até aqui e tem interesse em aprender mais sobre essa inovação, nada melhor que algumas indicações de livros para você se aprofundar no assunto. Vamos lá então?

1. A realidade em jogo: por que os games nos tornam melhores e como eles podem mudar o mundo

Considerada a bíblia da gamificação, a autora Jane McGonigal questiona o uso dos games enquanto entretenimento meramente escapista.

Baseada nos conceitos de psicologia positiva, ciência cognitiva e sociologia, ela explica como os jogadores podem se tornar pessoas capazes de resolver grandes problemas e como podemos usar lições do Design de jogos para fins socialmente positivos. 

Além disso, a obra mostra exemplos de jogos que já estão mudando o cenário social em que estão inseridos, no mundo dos negócios, na educação, nas ONGs, entre outros.

2. For the win!

De Kevin Werbach e Dan Hunter, o livro traz uma perspectiva de como a gamificação pode ser uma ferramenta e como ela pode ser implementada. 

Na visão dos autores, uma empresa pode ser transformada por meio do engajamento e da motivação. Na obra, os autores trazem exemplos reais de empresas em setores diversos que implantaram estratégias gamificadas.

Outro ponto importante é um guia e estrutura para colocar a gamificação em uma empresa e quando é mais útil a utilização da ferramenta. 

3. Gamification by Design: implementing game mechanics in web and mobile apps

Nesta obra, a gamificação é abordada sob o ponto de vista do Design, ao mostrar empresas que utilizaram a gamificação em seus aplicativos para proporcionar uma experiência viral e atraente aos seus usuários.

A obra traz as estratégias necessárias para pôr em prática a metodologia dos jogos nos sites e/ou aplicativos.

O livro também aborda a parte motivacional que os designers usam para atrair e engajar consumidores mundo afora e, assim, fidelizar os clientes.

4. Game On: energize your business with social media games

De Jon Radoff, o livro mostra as inúmeras possibilidades dos jogos sociais. Essas técnicas podem ser usadas para melhorar o desempenho de atividades online, mídias sociais e outros campos de consumo e negócios.

5. Actionable Gamification: beyond points, badges and leaderboards

O livro mostra que, apesar da relação entre mecânica de jogos e Psicologia Comportamental estar difusa, poucos sabem como combinar ambos os campos em projetos que tragam lucro. 

O autor, Yu-kai Chou, propõe então uma jornada para aprender a criar experiências atraentes e bem-sucedidas nos projetos de gamificação, sejam pessoais ou profissionais.

Agora que já sabe um pouco de gamificação, que tal conhecer novos materiais?

Você achou que a gamificação tem tudo a ver com seu momento profissional? E está a fim de se especializar em Design, mas tá perdido? 

O nosso material “8 perguntas e respostas sobre cursos para se especializar em Designvai trazer todas as dicas necessárias para você se especializar em uma área do seu interesse. Baixe o material gratuito agora mesmo!