Um mercado rodeado por mudanças constantes na forma de lidar com o público, com os produtos e com novas tecnologias. É nesse cenário que se intensifica a procura por Future Studies.

Você conhece essa área do conhecimento e sabe como ela pode impactar a sua carreira, tornando você um profissional relevante e requisitado? Saiba mais neste post!

Tenha uma experiência diferente com os conteúdos do blog Design e Mercado. Experimente a versão narrada do nosso conteúdo. Basta dar um play abaixo ou fazer o download para ouvir offline!

Qual é o conceito de Future Studies?

Future Studies é uma prática multidisciplinar que ganha cada vez mais relevância no atual cenário de negócios. Apresenta-se como uma grande tendência para os quadros das empresas.

Estudar o futuro permite que as organizações desenvolvam projetos antecipados e se preparem para alcançar posições superiores nos mercados que virão.

Basicamente, podemos definir Future Studies como um estudo sistemático de futuros possíveis, prováveis e desejáveis.

Por que os Future Studies são importantes para os negócios?

Capturar e entender sinais de futuros é extremamente importante para a estratégia e tomada de decisão de qualquer tipo de planejamento.

Compreender tendências de comportamento sociais e de consumo permite às organizações trabalhar no desenvolvimento de produtos e serviços que ainda serão desejados.

Mas, pesquisa e desenvolvimento levam tempo. Por isso, basear-se apenas em um cenário presente pode deixar uma empresa defasada no mercado em relação às suas concorrentes.

Como o mercado atual absorve os profissionais de Future Studies?

A pandemia de Covid-19 foi um alerta sobre as possibilidades de mudanças repentinas e seus impactos nas empresas.

Esse momento serviu como um impulso para os profissionais futuristas, que passaram a ser bastante requisitados em diversas empresas. O objetivo é estar preparado e se sobressair.

Os principais focos de trabalho no cenário de hoje são a elaboração de estratégias de contenção de riscos, a exploração de novas oportunidades e a preparação para novos cenários.

Qual o lugar dos profissionais futuristas dentro das organizações?

A principal habilidade de um estudioso do futuro deve ser a abertura ao que é novo, para conseguir enxergar os movimentos do mercado e captar pistas sobre tendências.

Esse profissional tem potencial para atuar como um mentor de empresas. Ao auxiliá-las na tomada de decisões, pensando no longo prazo, será fundamental para a perpetuação do negócio.

Além disso, seria uma aquisição estratégica para qualquer departamento de marketing, planejamento e desenvolvimento de produtos.

Quais são as habilidades desenvolvidas por um profissional dessa área?

Um profissional de Future Studies consegue entender os contextos da sociedade, como chegamos até o presente e como podemos evoluir a partir de então.

Ele desenvolve e aplica ferramentas para o mapeamento de novos cenários. Como parte de sua função, o profissional precisa:

  • desenvolver relatórios e protótipos que evidenciem tendências e cenários construídos e projetados;
  • aplicar metodologias de análise e interpretação de cenários;
  • criar insights para produtos, serviços, processos internos e relacionamento com o público;
  • identificar sinais impactantes de mudanças de padrões sociais e mercadológicos;
  • compilar e identificar tendências de maneiras não óbvias, abrindo leques de atuação e investimentos;
  • pensar o comportamento do consumidor em relação a marcas, processos de vendas, comunicação e engajamentos em causas sociais e ambientais;
  • antecipar e construir futuros desejáveis.

Quando falamos em futuros, existe alguma definição para esse período?

Até mesmo para a programação do lançamento de produtos sazonais, é importante determinar quais são os futuros que serão trabalhados.

Apesar de não serem muito rígidos, existem algumas delimitações de tempo para organizar as previsões de ações dentro das empresas.

Assim, os períodos de tempos para os estudos futuros são divididos da seguinte forma:

  • futuro de curto prazo: até um ano, a partir de hoje;
  • futuro de curto alcance: de um a cinco anos, a partir de agora.
  • futuro de médio prazo: daqui a cinco a vinte anos;
  • futuro de longo prazo: daqui a vinte a cinquenta anos;
  • futuro distante: daqui a mais de cinquenta anos.

Por que os Future Studies se tornaram tão estratégicos?

A Universidade de Aarhus e a EBS Business School, ambas na Alemanha, realizaram uma pesquisa prospectiva estratégica, ou projeção de futuros.

Os resultados mostraram que empresas que utilizam desse recurso conseguem agregar mais valor às suas entregas. Além disso, têm mais êxito em interpretar, perceber e responder a mudanças.

Entretanto, um dos pontos mais interessantes foram os resultados que mostraram que empresas que fazem estudos futuros têm mais capacidade de influenciar.

Como os Future Studies estão ligados à inovação?

Os Future Studies têm muito a contribuir com as empresas, principalmente em termos de competitividade e capacidade de inovação.

Hoje, uma empresa que não realiza nenhuma forma de estudo de futuros possíveis não pode ser considerada inovadora. É a capacidade de antecipação que define as empresas referências no mercado.

Identificar uma oportunidade e lançar um novo produto, serviço ou tecnologia, é fundamental para alavancar a popularidade, o valor da marca e, principalmente, as possibilidades de receita de uma empresa.

Como utilizar os Future Studies na estratégia de uma empresa?

Os Future Studies não funcionam apenas de maneira passiva. Ao imaginar cenários, as empresas podem tomar medidas para influenciar comportamentos e mudar pensamentos.

Esse movimento é fundamental para estabelecer um planejamento estratégico com diversas variações e capaz de responder a mudanças e se adaptar a novas situações.

A partir disso, vamos apresentar algumas aplicações dessa ciência nas empresas. Acompanhe.

Potencializar o gerenciamento de riscos

Para que uma empresa sobreviva em longo prazo, é extremamente importante saber lidar com riscos e tomar as decisões corretas.

Os estudos de futuros permitem à empresa criar mecanismos de resiliência e segurança organizacional. Isso é importante para manter o fluxo de operações sólido mesmo em momentos de incertezas.

Além disso, com investimento nessa área, haverá mais embasamento para que cada direcionamento administrativo tomado ocorra de forma sustentável para o negócio.

Fomentar uma cultura organizacional voltada à inovação

Como você já percebeu, futuros não são simplesmente previsíveis, mas construídos e influenciáveis. E entender isso é a chave para colocar em prática uma cultura inovadora.

Empresas podem escolher seguir ou criar tendências, mas uma coisa é certa: as criadoras sempre estarão mais presentes na mente do consumidor.

Ao trabalhar ativamente com estudos de futuros e aplicar os resultados na prática, uma empresa pode criar um círculo de inovação e aumentar seu destaque frente aos concorrentes.

Criar processos de mapeamentos de tendências

Ao permitir ter uma percepção sobre mudanças emergentes, os Future Studies proporcionam à empresa mapear possíveis transformações do mercado e da sociedade.

Dessa forma, ela pode desenvolver todo um ecossistema de insights que poderão contribuir para pesquisa de produtos ou até ações de marketing, envolvendo o posicionamento da marca.

Também é importante que os estudos sejam diversificados, observando tendências sociais, tecnológicas, políticas, econômicas e de meio ambiente. Tudo para estar bem posicionado.

Desenvolver a ambidestria organizacional

Ter ambidestria organizacional significa que a empresa conta com equipes trabalhando simultaneamente em projetos para o presente e para o futuro.

Esse tipo de cultura é fundamental para promover estratégias inovadoras e sustentáveis em longo prazo. Isso deixará a empresa bem posicionada para diversos cenários possíveis.

Organizações que queiram se manter relevantes precisam trabalhar para ter melhoria contínua de suas operações e para aproveitar e explorar oportunidades e tendências futuras.

E como aplicar a construção de cenários em uma organização?

A criação de cenários é um processo que envolve algum estudo e deve ser alinhada à realidade de cada projeto ao qual vai se aplicar.

Entretanto, existem alguns fatores gerais que servem como guia ao longo de seu desenvolvimento. Podemos dividi-los em quatro etapas principais:

1. O brainstorming

Essa etapa é muito importante para fazer o levantamento de percepções diferentes sobre o cenário. É a partir dela que identificamos fatores que podem impactar o projeto.

Ainda nessa etapa, é importante que a equipe envolvida discorra e busque compreender fatores, tanto internos quanto externos e que podem ser decisivos no processo.

Após todos esses levantamentos sobre perspectivas, visões, oportunidades e possíveis problemas, já é possível começar a segunda etapa.

2. A classificação de fatores

Na sequência do levantamento dos fatores, é hora de separá-los e fazer uma classificação. Essa etapa é importante para a equipe conseguir diferenciar possíveis futuros e seus impactos no desenvolvimento do projeto.

Geralmente essa classificação é feita com a separação dos fatores em quatro quadrantes, dividido por dois eixos: um de importância e um de probabilidade.

Ou seja, o quadrante superior direito conteria os fatores mais importantes e menos prováveis, enquanto o inferior esquerdo, os mais prováveis e menos importantes.

3. A identificação do futuro

A terceira etapa consiste em identificar diferentes futuros para cada um dos fatores classificados na segunda etapa.

A combinação dos resultados será usada para a construção de um enredo. Ele servirá como base para acompanhar as descrições dos diversos cenários.

Além disso, a equipe deverá avaliar a classificação entre esses futuros como de mais alta ou mais baixa probabilidade.

4. O storytelling

O passo final é reunir todas essas informações e elaborar uma história com uma linha de raciocínio sobre um futuro possível.

Esses cenários podem ser construídos no início de qualquer processo de planejamento. Eles são usados com o objetivo de identificar possíveis estratégias e planos para alcançar um resultado viável e desejável.

Para otimizar os resultados, também é importante que as principais partes interessadas no projeto estejam envolvidas nessa construção de cenários.

Quais as vantagens de fomentar um mindset de inovação a partir dos Future Studies?

Grandes empresas já perceberam que têm muito a ganhar investindo em estudos futuristas, principalmente em assuntos relacionados a competitividade e inovação.

Ao antever futuros alternativos, as organizações conseguem se preparar para adaptar modelos de negócios a momentos futuros. Além disso, têm suas mentalidades abertas, tornando-se menos resistentes a mudanças e mais dispostas a inovações.

Como resultados da fomentação desse mindset, as empresas podem conseguir:

  1. abertura de possibilidades de atuação no presente;
  2. maiores probabilidades de contornar e lidar com incertezas do mercado;
  3. redução dos riscos envolvendo seus negócios;
  4. descoberta de novas alternativas de investimentos e áreas de atuação;  
  5. criação de um mindset organizacional mais flexível e propenso a inovações.

Como se tornar um profissional de Future Studies?

Os Future Studies são uma área do conhecimento multidisciplinar. Isso significa que abraça profissionais provenientes de diversos segmentos para aplicá-la aos seus contextos.

É possível fazer uma pós-graduação em Future Studies para associar os aprendizados a áreas como Marketing, Moda, Arquitetura, Design, Ecologia e novos negócios.

O curso é ideal para profissionais que queiram instaurar o mindset de futuros e transformar seus projetos, espaço de trabalho e relacionamento interpessoal.

Quais são os conhecimentos desenvolvidos em um curso de Future Studies?

O curso de Future Studies do IED é elaborado para profissionais que queiram levar para dentro de suas empresas um olhar de futuros para diversas áreas: pesquisa, desenvolvimento, marketing, inovação e até para construção de cenários e futuros.

A proposta do curso é:

  • entender a origem e para onde está caminhando o estudo de futuros;
  • desenvolver novos modelos mentais que possam ser aplicados em diversos desafios;
  • participar de imersões em empresas que já atuam com soluções que vão fazer a diferença no futuro;
  • promover a organização de eventos, além de facilitar e mediar conversas em sala de aula com profissionais experientes;
  • proporcionar aos alunos a oportunidade de exercer a prática de um projeto real, construindo futuros desejáveis junto a empresas relevantes.

Future Studies pode ser considerada uma carreira de futuro?

Essa carreira ainda está em um estágio embrionário no Brasil, mas tem grandes possibilidades de experimentar grande crescimento em um futuro próximo.

Os efeitos da pandemia foram devastadores para muitas empresas. Elas já começam a se mobilizar para contornar possíveis novos impactos e magnitude semelhantes, apostando nos estudos de futuros.

Para se ter uma ideia, enquanto no Brasil começam a surgir os primeiros cursos dedicados à área, nos EUA, desde os anos 1970 já é possível cursar pós-graduação em Future Studies.

Agora que você já conheceu bastante sobre a importância que os profissionais de Future Studies estão ganhando no mercado, que tal pensar em cursar uma especialização?

Prepare-se para pensar, planejar, explorar e criar futuros com profundidade e vivências únicas no curso na modalidade One Year sobre Future Studies do IED.

Além de tudo, você vai experimentar um módulo internacional em uma das nossas sedes da Espanha ou Itália. Venha conhecer!