Você já ouviu falar sobre fashion law? Esse é um segmento de mercado de moda que está em crescente expansão.

E você pode se especializar nele! Para saber mais sobre tudo o que envolve esse conceito, continue a leitura e entenda suas possibilidades de atuação.

O que é fashion law?

A expressão fashion law pode ser traduzida como Direito da Moda. Essa é uma especialização na área jurídica que tem como objetivo solucionar todas as questões judiciais que ocorrem dentro da indústria da moda.

Esse ainda não é um ramo independente do Direito. Afinal, não conta com legislações próprias. É preciso se basear em outras áreas importantes, como o Direito Tributário, Trabalhista, Penal, Societário e Ambiental.

Além, é claro, de lutar pela regulamentação da propriedade intelectual. Afinal, as criações de moda são arte e não podem ser copiadas. Boa parte dos casos que o profissional dessa área encara são relacionados a essas questões.

De forma geral, as necessidades dessa indústria são bastante específicas. Por esse motivo, a quantidade de demandas e casos é alta e a procura por profissionais especializados também. 

Um advogado pode resolver o problema, mas um advogado que entende de moda resolve ainda melhor.

Quem trabalha com fashion law precisa conhecer muito bem o Direito, mas também o mundo da moda. Só assim é possível trabalhar com propriedade, de modo a oferecer soluções personalizadas e realmente efetivas.

Como esse conceito surgiu?

O conceito de fashion law foi criado pela advogada americana Susan Scafidi, há cerca de 15 anos. Ela é, inclusive, a fundadora do “The Fashion Law Institute”, associação sem fins lucrativos que permite o estudo e a associação entre as duas áreas. 

Susan treina advogados, empresários e profissionais da moda para a atuação nesse ramo inovador do Direito e da Moda.

Em 2010, Scafidi desenvolveu o primeiro curso de fashion law do mundo. Ele foi a grande inspiração para que outros surgissem em vários países.

Na medida em que as leis passam por atualizações, a área de Direito da Moda também. Como ela se baseia em outros princípios jurídicos, é fundamental acompanhar as mudanças.

Vale lembrar também que o conceito não abrange a moda apenas como roupas e sapatos. Até porque ela não é só isso!

Acessórios, maquiagem, Design e artesanato também fazem parte da lista que o setor atende. Basicamente, tudo o que é considerado como manifestação de moda pode recorrer a esse tipo de serviço.

Hoje, é possível encontrar vários escritórios especializados unicamente em fashion law. Você pode até mesmo abrir o seu! Para completar, a própria Ordem dos Advogados do Brasil conta com uma comissão especializada na área.

fashion law atuação

Quem pode trabalhar com fashion law?

Para trabalhar com fashion law, a primeira exigência é uma formação na faculdade de Direito.

A princípio, não é obrigatório ter uma outra especialização como pré-requisito. Mas entender bem de Direito Tributário e Direito Penal, em especial, é super importante.

Você ainda tem que ter em mente que o mercado de moda muda o tempo inteiro. Então, deve se preparar para acompanhar tudo bem de perto e conseguir atender seus clientes.

Ter aquele jogo de cintura também faz a diferença. Isso porque você terá que lidar com uma infinidade de negociações. E saber favorecer seu cliente será sempre o principal objetivo.

Ah! E os processos nem sempre correm rápido, então a paciência é outra característica importante para o profissional. Será preciso uma interação constante com o cliente, e uma comunicação impecável para informá-lo a respeito de burocracias.

Conheça as áreas possíveis para trabalhar com fashion law

Dentro da fashion law, você pode trabalhar com:

  • Direito da imagem: hoje a divulgação das marcas de moda depende muito dos digital influencers. Saber sobre direito de imagem é muito importante;
  • Contratos: a formalização de contratos de compra, venda e contratações precisa ser feita por profissionais que entendem do negócio. Do contrário, contratantes e contratados podem sofrer prejuízos enormes;
  • Direito Trabalhista: costureiros, fotógrafos, modelos e transportadores são apenas alguns exemplos de profissionais envolvidos no ramo da moda. Seus direitos devem ser cumpridos e formalizados por um profissional especializado;
  • Direito Tributário: as empresas de moda lidam com impostos o tempo todo, porque a indústria têxtil é uma das maiores do mundo e fornece matéria-prima para os mais diferentes setores;
  • Comércio exterior: o Brasil é um grande exportador de moda. Vende, principalmente, para a China. O intermédio correto é o que permite vendas seguras.

Viu só como essa área, apesar de bastante recente, permite que você trabalhe de várias maneiras? Se você já tem uma preferência ou experiência prévia, está um passo à frente para construir um bom trabalho.

Por que é importante se qualificar para potencializar a carreira profissional?

Como você viu, trabalhar com fashion law exige que você tenha conhecimentos bastante direcionados.

Não basta conhecer apenas a área de Direito. É fundamental entrar de cabeça no mundo da moda. Daí a importância de uma qualificação apropriada. Nem sempre você consegue entender tudo sobre uma área por conta própria.

Contar com conhecimentos que preparem você como profissional para uma atuação que deixe seus clientes satisfeitos é indispensável.

Além disso, todo mundo sabe que um currículo recheado faz toda a diferença na hora da contratação. Mostrar que você é atualizado, interessado e tem vontade de aprender mais e crescer é o que faz com que você tenha uma contratação rápida.

E o mundo da moda é bastante exigente, viu? Você lidará com pequenos produtores, sim, mas poderá trabalhar também com as grandes marcas que desfilam pelas passarelas de todo o mundo.

Ou seja, quanto melhor for a sua especialização, mais você potencializa a carreira. E consegue fazer seu nome ficar conhecido na área. E, quem sabe, no mundo todo, como referência!

E aí, curtiu saber um pouco mais sobre fashion law? Quer aproveitar e conhecer outras tendências de carreira? Acesse nosso blog e saiba mais!