A carreira de designer de interiores é um dos caminhos possíveis dentro da área de Design. Assim como outros campos de atuação, requer um bom nível de qualificação profissional.

De uns tempos para cá, essa profissão tem sido cada vez mais valorizada no mercado. Isso porque as pessoas têm percebido a importância do visual, conforto e funcionalidade dos espaços.

Mas saiba que não é só isso.

Se você tem interesse pela área, fique com a gente para entender mais sobre esse segmento, o papel e o perfil dos profissionais especializados no assunto.

Boa leitura!

Qual é a importância do designer de interiores para o mercado?

O designer de interiores tem tido a sorte de encontrar ótimas perspectivas de trabalho e também de crescimento.

Apesar de ser uma profissão já bem conhecida, há quem ainda pense que os designers estão limitados ao ato de desenhar. Mas não é bem assim.

E o Design de Interiores está aí para mostrar isso!

As pessoas começaram a ficar mais ligadas nas influências que os espaços exercem sobre suas vidas. Com isso, a atenção aos estilos de decoração, cores, mobiliário, texturas, iluminação e outros elementos aumentou.

Portanto, os profissionais precisam embarcar nessa onda, investindo em capacitação para aproveitar as melhores oportunidades.

Além disso, eles estão sendo mais valorizados.

Afinal, a criação de projetos de interiores que atendem às necessidades das pessoas depende de um designer preparado. Diferentemente do que muitos podem achar, é um trabalho que vai muito além do senso estético.

Diante do crescimento da área, os profissionais têm excelentes chances de sair do lugar comum para atuar não apenas nos interiores de casas.

Eles também podem explorar outros segmentos, desenvolvendo projetos para empresas, espaços culturais, estabelecimentos comerciais, entre outros.

Designer de interiores e decorador: entenda quais são as diferenças entre esses profissionais

Muitas dúvidas ainda rondam essas duas profissões. Há quem pense que se trata da mesma coisa, mas não é bem assim. Embora os dois trabalhem com ambientes internos, eles atuam de forma diferente.

Conforme a regulamentação do designer de interiores avançou, a distância entre eles se tornou ainda maior.

Para clarear as ideias, vamos entender melhor como cada um atua no mercado.

Então, o que faz o designer de interiores?

O planejamento das áreas internas das edificações é responsabilidade do designer de interiores. E o objetivo do trabalho dele não está ligado apenas às questões estéticas.

Além de bonitos, casas, apartamentos, escritórios e outros espaços devem oferecer conforto, praticidade e segurança para quem vai usá-los.

Dessa forma, os projetos de interiores costumam incluir:

  • layout do ambiente com a posição dos móveis;
  • distribuição da iluminação artificial;
  • escolha do mobiliário, cores, materiais e acabamentos.

Tudo isso precisa levar em conta aspectos fundamentais, como conforto térmico, consumo de energia, acústica, ergonomia e saúde. Só assim é possível criar espaços adequados ao uso proposto.

Entretanto, o designer de interiores não lida com a parte estrutural dos ambientes. Apenas os arquitetos e engenheiros têm autorização para isso.

E o decorador?

Já o decorador trabalha apenas com a estética dos ambientes internos. Para isso, o profissional não precisa, necessariamente, de uma formação na área.

Sendo assim, podem apenas fazer composições com itens decorativos, revestimentos, cores e peças de mobiliário.

Diferentemente do designer de móveis, o decorador não faz móveis sob medida, projetos de iluminação ou layout de ambientes. Tampouco pode mexer na parte estrutural, alterando paredes, portas ou janelas.

5 características que todo designer de interiores deve ter

1. Saber se comunicar de forma clara e objetiva

Quem trabalha com Design de Interiores está o tempo inteiro lidando com pessoas, sejam elas clientes, prestadores de serviços, fornecedores ou a própria equipe.

Para garantir um bom fluxo de trabalho e evitar possíveis conflitos, o profissional deve saber se comunicar com clareza.

2. Ter habilidades gerenciais para colocar o projeto em prática

Enquanto o designer de interiores idealiza o projeto, outros profissionais precisam executar os diversos serviços necessários para tirá-lo do papel.

Por estar coordenando muitas pessoas e, às vezes, tocando vários projetos ao mesmo tempo, o designer deve assumir uma postura de gerente. Com isso, consegue garantir que os prazos sejam cumpridos e tudo ocorra como previsto.

3. Entender as necessidades dos clientes

De nada adianta elaborar um projeto lindo se ele não estiver de acordo com o que o cliente precisa. Portanto, entender as necessidades dele é uma tarefa fundamental.

Com base nisso, o designer de interiores consegue pensar no layout mais adequado para criar um ambiente agradável. E também definir a paleta de cores, escolher os revestimentos e móveis que tenham a ver com o estilo do cliente.

4. Explorar a criatividade a favor da inovação

A inovação está presente em todas as áreas de atuação do Design. Por isso, a criatividade deve ser usada para elaborar soluções que nunca foram pensadas antes.

Um bom exemplo disso são as formas de otimizar espaços que vêm sendo criados. Elas atendem às necessidades de pessoas que vivem em apartamentos pequenos e querem agregar funcionalidade e beleza aos espaços, de forma simultânea.

5. Estar sempre por dentro das tendências

Por se tratar de um mercado em constante transformação, o designer de interiores que deseja se destacar precisa acompanhar as tendências.

E não só do mundo do Design. É importante que os profissionais também fiquem inteirados sobre o que está acontecendo na arquitetura, decoração, artes e outros campos relacionados ao seu trabalho.

Invista em qualificação e faça a sua carreira decolar!

Ficou animado com a ideia de trabalhar como designer de interiores? Além de ter as características que listamos acima, é fundamental que você invista nos estudos.

Uma dica é buscar uma pós-graduação ou curso especializado na área. Assim, você adquire os conhecimentos necessários para entrar com tudo no mercado de trabalho.

Mas cuidado para não encarar a formação como linha de chegada, viu?

Os investimentos nos estudos devem ser contínuos. Afinal, um bom designer de interiores precisa estar sempre atualizado, potencializando seu desenvolvimento.

E já que estamos falando de Design de Interiores, você sabia que o IED possui uma pós-graduação inteiramente dedicada ao tema? Conheça agora mesmo o que o curso aborda.