O Design Thinking não é uma metodologia, mas uma abordagem usada na busca de soluções para diversos problemas. Mas por que tanto se fala nela?

Porque o processo lógico do Design Thinking não é limitado às áreas criativas e pode ser aplicado em uma infinidade de contextos.

Ele funciona como uma ferramenta útil para os negócios, para a rotina das empresas e até para a sua própria carreira.

Não parece incrível?

Confira a seguir como essa abordagem funciona e como ela pode ajudar você a crescer profissionalmente.

Design Thinking: o que é?

Em primeiro lugar, tente não associar o Design Thinking a uma receita pronta.

O que essa abordagem faz, na verdade, é usar o modo de pensar do design para resolver problemas, criar produtos, elaborar projetos, inovar.

E como os designers pensam?

Para quem não é a da área, isso talvez não fique claro.

De forma geral, esses profissionais precisam ter uma visão do todo antes de criar qualquer coisa.

Isso significa que eles devem levar em conta a visão de mundo das pessoas para identificar os obstáculos para o projeto e pensar em alternativas. 

Nesse processo, os designers se guiam pelas etapas de pesquisa, brainstorming, seleção de ideias, e teste e criação de protótipos.

O Design Thinking segue esses mesmos passos nos mais diversos tipos de projetos. E sempre se baseia em 3 valores principais:

Empatia

No design, o ponto de vista do público-alvo é uma prioridade na hora de criar uma solução, seja qual for.

Isso porque levar em conta apenas o próprio ponto de vista pode colocar você numa armadilha. E a gente acaba fazendo isso sem perceber.

Entretanto, quem trabalha com design foi ensinado a sempre pensar nesse aspecto.

Assim, usam pesquisas e estudos, fazem análises e contam com diversos métodos para ter uma visão clara sobre a perspectiva do público.

Ou seja, é sobre ser empático e estar disposto a compreender o outro.

Colaboração

Além de considerar o público, o Design Thinking se importa com todas as pessoas envolvidas no projeto.

Por isso, a abordagem se baseia em um processo colaborativo, em que a opinião de todo mundo conta.

A colaboração está na essência do design. Tanto é que os projetos que adotam esse pensamento costumam ser desenvolvidos por equipes multidisciplinares.

Experimentação

A solução ideal dificilmente é encontrada a partir de uma única tentativa perfeita.

Você só consegue ter certeza de que tem a melhor ideia nas suas mãos depois de criar alternativas e testar todas elas.

A partir da experimentação, ainda é possível descobrir detalhes novos e até pensar em benefícios extras para a solução criada.

É exatamente isso que o design faz.

Design Thinking - áreaPor que as empresas estão adotando essa abordagem?

O mundo dos negócios passou a enxergar o Design Thinking como um atalho para a inovação.

Além de criar novas soluções, o pensamento do design ajuda a trazer novos significados a produtos, serviços e soluções oferecidas pelas empresas.

Ao usar o pensamento criativo no ambiente corporativo e colocar as pessoas no centro de tudo, o Design Thinking promove a inovação. E, ao mesmo tempo, agrega valor ao negócio.

Portanto, a abordagem pode ser bastante útil para, por exemplo:

  • desenvolver projetos mais assertivos;
  • engajar das equipes;
  • promover a cultura de inovação;
  • incentivar a transformação digital;
  • elaborar marcas;
  • criar novos produtos;
  • entre outros.

6 dicas potencializar sua carreira com o Design Thinking

Como você viu, é possível usar o modo de pensar dos designers em diversas situações. E isso também vale para os momentos em que a sua vida profissional precisa de uma boa solução.

Veja, a seguir, como usar o Design Thinking quando você é o público-alvo:

1. Adote um diário

Se você quer melhorar sua situação profissional, comece a escrever suas atividades em um diário.

Conhecendo o que você realmente gosta de fazer, fica mais fácil encontrar um emprego mais interessante ou mudar de área, por exemplo.

É como se você fosse o pesquisador e o pesquisado ao mesmo tempo.

2. Pense em como melhorar sua rotina

Então, é hora de colher os insights. Com base nas suas anotações, tente descobrir quais atividades causam felicidade, trazem satisfação, sugam suas energias, desmotivam, etc.

Ou seja, você precisa observar os sentimentos que elas provocam.

Assim, já dá para começar a mapear ideias de como melhorar o seu dia a dia.

3. Faça planos para o futuro

Será que você sabe o que quer fazer com a sua vida? Na dúvida, faça planos para os próximos anos e veja para onde eles levam você.

Considere diferentes caminhos empolgantes para o futuro, por mais diferentes que sejam. Eles podem estar ligados tanto a propósitos profissionais quanto pessoais.

Esse exercício ajuda você a se dar conta de que não existe um único caminho para a felicidade, mas vários. E quem faz a escolha é você.

4. Descubra qual é o problema

Depois de reunir informações sobre a sua própria vida, você precisa descobrir qual é o seu maior problema. Reflita, por exemplo, sobre:

  • como trocar o que você não gosta de fazer pelo o que traz alegria;
  • o que precisa mudar no seu trabalho para você se sentir mais satisfeito;
  • o que você precisa aprender para mudar de rumo na profissão, se esse for o caso;
  • qual objetivo de carreira aumenta sua motivação para trabalhar.

5. Siga as pistas

A partir desse mapeamento, é possível começar a encontrar algumas pistas que vão levar você ao destino certo.

Mesmo sem ter certeza de para onde você quer ir, de pista em pista, fica mais fácil desbravar o próprio caminho.

É um processo de brainstorming constante, seguido da escolha das melhores ideias.

6. Experimente

As ideias foram selecionadas? Então chegou o momento de experimentar.

Não se esqueça de que no Design Thinking a experimentação também faz parte do processo de aprendizado.

Algumas coisas correm o risco de dar errado e por isso mesmo que as ideias precisam ser testadas antes. Assim, você pode fazer os ajustes necessários até ficar feliz com o resultado final.

Abrace o pensamento do design!

Depois de entender como o Design Thinking funciona, é hora de aprender a aplicar as etapas nas situações do seu dia a dia.

Para isso, nada melhor do que estudar sobre o assunto e fazer uma boa capacitação.

Conheça o curso de extensão em Design Thinking do IED e conecte o seu mindset com um modelo mental criativo e colaborativo!