Diretamente ligado aos novos hábitos de consumo, o Design de Serviço tornou-se uma área essencial para o crescimento das empresas no mundo de hoje.

Afinal, as marcas precisam entregar muito mais do que um simples produto.

Elas precisam oferecer uma experiência de compra positiva em todas as etapas para conseguir engajar, fidelizar os clientes e melhorar seus resultados.

Por isso, o designer de serviço marca presença entre as profissões do futuro.

Já pensou em expandir seus horizontes e trabalhar nesse campo de atuação? Então continue lendo para ficar por dentro de tudo o que você precisa saber!

Como o Design de Serviço é aplicado na prática?

Também chamado pelo nome em inglês, Service Design, o Design de Serviço nasceu como uma prática profissional totalmente focada na relação entre empresa e clientes.

E o objetivo principal dela é oferecer um serviço de melhor qualidade.

Mas, quando a gente fala de serviço, não estamos nos referindo apenas às empresas que vendem serviços. As marcas que comercializam produtos também fazem parte do combo.

Para o Design de Serviço, mais importante do que o que está sendo vendido, é a satisfação do cliente em todas as etapas. Só assim é possível construir uma relação de confiança a partir de cada ponto de contato com o consumidor.

Não pense que tratar as pessoas bem é suficiente.

O trabalho de um designer de serviço inclui pensar em formas de atender, fornecer informação e valorizar o cliente. Isso tudo dá a base para que a empresa preste um serviço de qualidade.

Design de Serviço x Design de Experiência do Usuário (UX): qual a diferença?

Como o foco do Design está sempre nas pessoas, é normal acontecer algumas confusões entre essas duas especialidades.

Entretanto, saiba que Design de Serviço e UX Design são coisas diferentes, ok?

Essa distinção pode ser explicada pela natureza do problema que os profissionais tentam solucionar.

Os UX designers resolvem questões de um produto específico ou de certos pontos de contato entre empresa e cliente.

Vamos supor que uma marca de roupas tenha seu próprio aplicativo de vendas online. Tendo o usuário em mente, o UX design usa os conhecimentos da área para criar um app prático, com interfaces intuitivas e de visual agradável.

Já o designer de serviço precisa aplicar suas habilidades às questões de nível de serviço. Isso quer dizer que esse profissional trabalha com todos os pontos de contato. Ou seja, com o quadro geral de interações entre empresa e cliente.

Então, qual é o propósito do designer de serviço?

Ainda usando a marca de roupas como exemplo, temos que pensar que ela faz muito mais do que apenas vender calças, blusas, sapatos e acessórios.

O serviço oferecido por ela passa por diversos pontos de contato: loja física, site, aplicativo, redes sociais e anúncios. E as interações que acontecem em todos eles compõem a experiência com a marca, formando um sistema de serviço.

O designer de serviço se dedica justamente ao sistema completo, que inclui os vários pontos de contato, como eles se conectam e como as pessoas se movimentam entre eles.

5 caminhos para trabalhar com Design de Serviço

Quando você entende o propósito da área, é possível se dar conta de que os designers de serviços podem atuar em todos os segmentos do mercado.

Mas, seja qual for o setor de atuação, determinadas atitudes vão ajudar você a começar a sua jornada no Design de Serviço com o pé direito.

Veja quais são elas a seguir.

1. Aprenda a se concentrar nas pessoas

É preciso entrar na lógica da coisa para se dar bem na carreira. Em vez de pensar nas estruturas internas das empresas, você deve se concentrar nas pessoas.

Só depois de entender o que é relevante para elas é que você vai explorar o ponto de vista da organização. Isso porque é necessário garantir que o projeto esteja alinhado ao que as pessoas esperam, evitando gastar dinheiro com “chutes”.

2. Busque entender outros cenários

A exigência por parte dos clientes aumentou em todos os setores. Portanto, não tem empresa que se livre dos novos desafios.

Mesmo as organizações mais tradicionais estão percebendo que seus métodos de negócio já não funcionam tão bem quanto antes. Afinal, eles foram criados em outra época, bem diferente dos dias de hoje.

No lugar dos métodos antigos, o Design aparece como a solução para enfrentar os desafios.

Até as indústrias que nunca exploraram o Design estão encontrando no Design de Serviço uma nova maneira de encarar a experiência do cliente.

Assim como elas, se você quiser trabalhar na área, vai precisar se abrir para o novo e entender como funcionam setores com os quais você nunca teve contato profissional.

3. Vá além do Design Thinking

O Design Thinking é uma abordagem usada pelos designers de serviço e que leva em conta a empatia, colaboração e experimentação. Porém, não dá para partir apenas dela.

Isso porque o Design de Serviços é mais complexo. Portanto, demanda mais conhecimento sobre as alavancas de relacionamento, indo além do modo de pensar do Design.

4. Imagine novas maneiras de fazer as coisas

Deixe de lado o receio de aprender com pessoas novas, as suposições e as ideias que você já conhece. É preciso estar disposto a ver as situações de outro jeito.

Aquele modo de pensar de que “foi sempre feito desse jeito” precisa ser eliminado para dar lugar à inovação. Só assim você vai conseguir criar soluções de real impacto.

5. Invista em qualificação

Por fim, mas não menos importante, está a qualificação profissional. Nada melhor do que fazer um curso de Design de Serviço para trazer legitimidade para a sua atuação.

Ainda, você descobre como usar o modelo mental do Design, as ferramentas e as técnicas mais importantes com quem entende do assunto.

Ficou empolgado para trabalhar na área?

Entender melhor como funciona o Design de Serviço e o papel estratégico que ele tem para as empresas ajuda você a pensar nos próximos passos da carreira.

Se o seu objetivo é se destacar, buscar uma especialidade com forte potencial de crescimento para atuar é uma das melhores saídas.

Já conhece os cursos oferecidos no IED? Acesse o site e saiba mais!