O Design de Interação é uma dessas áreas do conhecimento que surgiram por causa da importância crescente dos produtos digitais. Já tinha ouvido falar sobre ela?

A ideia principal é oferecer interações cada vez melhores para o usuário.

Tanto é que o Design de Interação costuma ser confundido com UX Design. Embora tenham objetivos semelhantes, os conceitos são diferentes – relaxe, pois vamos explicar tudo isso neste artigo.

Se você quer evoluir na carreira de designer, além de saber quais especialidades existem, é bom se familiarizar com elas, não acha?

Então bora lá!

Afinal, o que é Design de Interação?

O Design de Interação é uma espécie de mistura entre Design e Tecnologia da Informação (TI). Seu objetivo principal é estudar a interação entre os usuários e os sistemas digitais e físicos. Tudo isso para otimizar a relação das pessoas com os produtos.

Por meio do planejamento e da aplicação de pontos de interatividade, os designers de interação conseguem ajudar as pessoas a ter um contato mais intuitivo com os sistemas.

A partir dos estudos feitos, eles conseguem, de certa forma, prever como as pessoas vão interagir com o produto que estão desenvolvendo. Pois é, estamos falando de um trabalho bastante avançado!

E também é uma área recente, que ainda deve crescer muito daqui para frente.

Se você tem vontade de trabalhar com Design de Interação, um dos caminhos é ampliar sua bagagem de conhecimento, tanto de Design quanto de programação e processamento de dados.

Design de Interação x UX Design: entenda a diferença entre eles

De cara, a gente já dá um spoiler: não existe uma delimitação clara entre as duas áreas. Mas, então, isso quer dizer que Design de Interação e UX Design são a mesma coisa?

Enquanto alguns especialistas dizem que se trata da mesma coisa, outros consideram o Design de Interação uma subcategoria do UX. Ou seja, ainda não existe um consenso entre os profissionais.

Porém, a gente pode dizer que são conceitos diferentes, que usam métodos particulares, mas que se complementam.

O UX Design se preocupa com toda a experiência do usuário com um produto, sendo que parte dessa experiência é a interação.

Só que, além dela, os UX designers também precisam levar em conta outros aspectos por se tratar de uma abordagem que cuida de toda a jornada do usuário.

Já o Design de Interação se dedica especificamente à melhoria de experiência interativa, ou seja, o momento do uso de um produto.

Portanto, estamos falando de uma diferença conceitual em relação à aplicação dos conceitos de Design no desenvolvimento de produtos digitais. Isso significa que um designer pode trabalhar tanto com UX ou com Design de Interação quanto com os dois.

O único critério é o profissional ter competência e as habilidades necessárias para aplicar nos projetos.

Conheça as 5 dimensões do Design de Interação

Antes de explicar em detalhes como o Design de Interação funciona, a gente vai falar sobre as suas principais dimensões, pois isso vai ajudar a clarear as ideias.

  1. Palavras: sobretudo aquelas que aparecem em botões e campos importantes devem ser significativas e diretas ao ponto para comunicar a informação de forma objetiva;
  2. Representações visuais: os elementos gráficos, como ícones, fontes e imagens precisam de uma boa dose de criatividade para complementar as palavras;
  3. Objetos físicos ou espaço: tanto o ambiente quanto os dispositivos usados pelo usuário para interagir com o produto devem ser levados em conta;
  4. Tempo: o período de tempo que o usuário passa interagindo com um produto digital é relevante, pois mostra o nível de envolvimento e permite pensar na possibilidade de retomar uma interação de onde parou;
  5. Comportamentos: como os usuários reagem quando usam um produto, ou seja, quais são as ações e respostas emocionais.

Entenda como o Design de Interação funciona e suas possibilidades de aplicação

Pense na interação entre usuário e produto como um bate-papo. Se a conversa não flui e parece que não estamos falando a mesma língua, a gente deseja procurar alguém mais interessante, não é verdade?

Com os produtos digitais é a mesma coisa. Isso explica por que a interação deve ser uma prioridade e impacta tanto a experiência dos usuários.

Para conseguir promover interações mais simples, objetivas e atrativas, os designers precisam se preocupar com os pilares básicos do Design de Interação, que são:

  • estética;
  • legibilidade;
  • usabilidade;
  • e funcionalidade.

Juntos, eles garantem a melhor interação possível entre usuários e sites, aplicativos, sistemas, jogos digitais, entre outros produtos que dependem de um ambiente interativo.

Além disso, os designers sempre precisam ter em mente que o projeto está sendo criado para o usuário final e não para o cliente. Ou seja, não se trata sobre agradar quem está bancando o projeto, mas sobre atender às necessidades dos usuários.

Quais são os principais benefícios do Design de Interação?

Não é por acaso que o Design de Interação foi criado. Como você deve ter percebido, ele nasceu a partir da necessidade de facilitar a interação dos usuários com os produtos.

Ao adotar essa abordagem, os projetos têm ganhos significativos em eficácia, usabilidade, funcionalidade e Design.

Mas não é só isso.

O Design de Interação também ajuda a melhorar a comunicação e o alinhamento entre o projeto do produto, a usabilidade e a interface criada. Com isso, as chances de os usuários se envolverem se tornam bem maiores.

Outro destaque vai para o foco nas motivações do usuário. Dessa forma, os designers conseguem desenvolver produtos que, de fato, atendam às necessidades do público-alvo.

Além disso, a aplicação do Design de Interação permite criar protótipos mais eficazes e favorece a colaboração entre a equipe interna e os clientes.

Como consequência, os produtos passam a ter maior valor agregado, já que oferecem soluções boas, fáceis de usar e diferenciadas da concorrência. Ou seja, é a fórmula do sucesso!

E aí, o que acha de trabalhar com foco na interação?

Conhecer um pouquinho mais sobre Design de Interação e outros campos de atuação dos designers é uma ótima forma de descobrir onde você deseja estar.

Isso porque, antes de tomar decisões sobre os rumos da sua carreira, é importante que você fique por dentro das possibilidades que o Design oferece.

Sobretudo se o seu plano é empreender em algum momento, você deve descobrir como usar os diversos conceitos e técnicas a seu favor.

Falando nisso, que tal conferir algumas técnicas para potencializar o seu negócio? Baixe o infográfico e conheça 4 metodologias inovadoras