Já ouviu falar em cultura material? Esse assunto das áreas de História e de Antropologia costuma chamar muito a atenção dos estudantes de todo o país. Afinal, estamos tratando de patrimônios importantes relacionados às práticas culturais.

Considerando que cada região tem seus próprios costumes, é perceptível que há diversos tipos de manifestações culturais. Mas qual seria a relação disso com o consumo e a moda? Descubra agora mesmo neste artigo!

Saiba o que é cultura material

Quando as pessoas buscam por cultura material, logo encontram algum conteúdo sobre cultura imaterial. Bom, as diferenças são simples, basta considerar o significado do que é material e do que não é. A seguir, você encontra alguns exemplos.

No sentido da cultura, todos os patrimônios culturais que podem ser vistos são considerados um exemplo de cultura material. Por outro lado, imaterial refere-se a todo tipo de cultura que não pode ser visualizada, como folclore e sotaques.

Conhece o Museu de Arte de São Paulo ou o Museu de Arte do Rio de Janeiro? Ambos são exemplos de patrimônios culturais materiais. Entretanto, o carnaval e o frevo servem para exemplificar a cultura imaterial.

Confira exemplos de cultura material

Embora a palavra cultura tenha diferentes significados, como arte e perfeição, a definição de cultura material é menos ampla. Essa modalidade de cultura considera a existência de elementos que foram construídos pelos seres humanos.

Alguns exemplos mais gerais disso são as construções, museus, prédios históricos e obras de arte. Esses itens podem ser quadros, esculturas e pinturas. É indispensável afirmar que todos são importantes e impactam a sociedade.

Parece complicado? Não se preocupe! Com a finalidade de deixar esse artigo ainda mais completo, incorporamos alguns exemplos para facilitar a sua compreensão. Todos eles foram elaborados com um determinado objetivo e marcam um momento.

Museu Histórico Nacional (Rio de Janeiro – RJ)

Os museus são excelentes exemplos quando falamos de cultura material. No estado do Rio de Janeiro existem vários. E não apenas em cidades da região Sudeste, mas em todo país. Há várias razões para as pessoas visitarem os museus.

Ainda mais quando elas viajam para conhecer uma determinada localidade. Neles ficam expostos artefatos históricos que representam uma época ou toda uma nação. O Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro não é apenas um espaço de registro.

Sua arquitetura é considerada um patrimônio histórico. Aliás, todas as peças expostas em seu interior possuem um valor inestimável para a cultura do país. Essa questão dos valores é estritamente associada ao fato da história local.

Pelourinho (Salvador – BA)

Agora, temos outro exemplo que todo brasileiro já visitou ou tem interesse em conhecer algum dia. Os pontos turísticos de uma região atraem centenas de visitantes que buscam conhecer toda a cultura local e registrar os momentos com fotos e vídeos.

O Pelourinho, localizado em uma das regiões turísticas mais famosas do Brasil, representa a cultura material não só de Salvador, mas de todo o Brasil, sendo um local reconhecido mundialmente. Essa forma de cultura material é reconhecida pela ONU.

Desde a data desse acontecimento, o espaço passou a ser usado por artistas diversos e foi revitalizado. Esse local tão importante passou a ser um dos principais atrativos para convocar turistas nacionais e até mesmo do exterior.

Feira de São Cristóvão (Rio de Janeiro – RJ)

Esse pedacinho do Nordeste está localizado na zona norte do Rio de Janeiro. A feira atrai diversos nordestinos que vivem na cidade e aproveitam o espaço para matar aquela saudade da sua terra natal e da cultura nordestina.

Moradores da região e amantes dessa cultura tão rica vão para a feira de São Cristóvão buscando sentir o calorzinho do Nordeste. E claro, sem precisar enfrentar horas de avião.

A feira proporciona uma experiência completa aos frequentadores. Isso acontece por meio da comida, música, dança e artesanato. É um ótimo exemplo de cultura material, desde a bela construção até as festas típicas que lotam o espaço.

Museu de Arte de São Paulo (São Paulo – SP)

Localizado na famosa Avenida Paulista, o MASP, Museu de Arte de São Paulo, entra na nossa lista de culturas materiais. Representa um ponto histórico da cidade.

Projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi, o MASP é, sem sombra de dúvidas, uma das maiores instituições culturais do país.

Com sua arquitetura moderna e marcante, São Paulo possui uma cultura material de extrema importância para a arte mundial.

Cristo Redentor (Rio de Janeiro – RJ)

Um dos maiores cartões postais do Brasil, a estátua do Cristo Redentor, localizada na zona sul do Rio de Janeiro, tem o poder de embelezar toda a cidade maravilhosa. Você pode visualizá-la de vários pontos da capital fluminense e é impossível não ficar hipnotizado.

Considerado uma das sete maravilhas do mundo, o Cristo Redentor representa uma das mais importantes culturas materiais do país. Com mais de 90 anos de idade, a estátua de 37 metros de altura é a queridinha dos cariocas.

Uma grande fonte de turismo, o Rio de Janeiro é responsável por atrair pessoas do mundo todo. Seja no momento das férias ou para apreciar a arte do Cristo de braços abertos com a linda e inesquecível paisagem carioca ao fundo.

Bonecos de Olinda (Olinda – PE)

O carnaval é uma das festas mais importantes do Brasil. Entre os meses de fevereiro e março, o país para pra celebrar essa grande festa que lota as ruas de Norte a Sul do Brasil. Desde as micaretas de Salvador aos desfiles no sambódromo do Rio.

Em Olinda está localizada uma forma de cultura material que você já viu ou ouviu falar. Os bonecos de Olinda chamam atenção por seus tamanhos e múltiplas cores, arrastando uma multidão pelas ruas da cidade histórica de Pernambuco.

Festejando o carnaval de rua local, você vai poder se deparar aleatoriamente com bonecos gigantes de personalidades históricas, famosos e até personagens de desenho de quase quatro metros de altura. Uma festa com certeza inesquecível!

Abaporu (Tarsila do Amaral)

Pintado por Tarsila do Amaral em 1928, Abaporu é uma das mais importantes e enigmáticas obras-primas da história brasileira. Representante do modernismo no Brasil, o quadro de Tarsila é estudado mundialmente até os dias de hoje.

Seja na escola, no museu, na internet ou mesmo em um grafite de rua. Você já se deparou em algum momento com a imagem de um homem com pés e mãos gigantescos, sentado em um campo com um cacto e um sol ao fundo.

A pintura do Abaporu é um marco da nossa arte e da nossa história e representa uma cultura material para o Brasil. Até hoje a obra de Tarsila segue sendo copiada, parodiada e, principalmente, estudada em todos os cantos do mundo.

Chapéu de couro nordestino

Oriundo do sertão do Nordeste, o chapéu de couro nordestino, popularmente conhecido como chapéu de cangaceiro, é uma vestimenta tradicional brasileira que ganhou espaço na lista de cultura material do Brasil.

O chapéu foi historicamente incorporado por Lampião, porém Luís Gonzaga foi um grande responsável pela viralização da indumentária. Hoje em dia, o chapéu de couro nordestino é usado para representar a vida sertaneja e o orgulho do seu povo.

Cultura material chapéu de couro nordestino

Entenda o conceito de consumo

Consumo é o termo usado para significar a compra de bens feita pelos consumidores. Essa prática faz parte da atividade econômica nacional e internacional. Reconhecendo que há diversas etapas de uma jornada de compra, o consumo é justamente a última.

Ou seja, é aquela fase em que um comprador interessado em algo decide pagar para ter um item disponível em uma loja. O consumo está fortemente ligado à cultura e aos recursos sociais. Juntos, eles formam o sistema globalizado que já conhecemos.

Existe a construção social que determina o consumo e até mesmo influencia a decisão e os interesses dos indivíduos. As compras podem ser feitas de forma individual, em conjunto, por alguma organização ou pelo estado.

A diferença entre consumo e consumismo

Não tem como falar de consumo e simplesmente ignorar a existência do consumismo em nossa sociedade. Muitas pessoas até mesmo confundem o significado de uma delas, mas não se preocupe. Vamos explicar como funcionam na prática.

Como mencionamos anteriormente, o consumo trata-se da compra de bens feita pelas pessoas. Dessa forma, não há uma determinação sobre esse consumo ter sido consciente ou exagerado. O consumismo é a prática viciante da compra.

É seguro dizer que uma forma de consumo pode ser saudável, mas o consumismo jamais deve ser visto como algo consciente. Esse ato supérfluo trata-se da compra ilimitada de produtos que, em algumas circunstâncias, não sejam importantes.

O conceito de moda

Agora, vamos à moda e à relação com os conceitos anteriores. O uso de cores, tecidos e matéria-prima na confecção de roupas e acessórios é o exemplo mais recorrente da moda. As pessoas ficam interessadas nisso devido à representatividade.

A moda é um fenômeno tanto cultural quanto social, ela está presente na vida de todas as pessoas em diferentes regiões. Assim como a cultura material, a moda não passa despercebida e é notada em todo o mundo.

Já que a moda é vista e consumida em todos os lugares, logo, há várias manifestações com diversas peças de vestuário. Não é possível restringir o que é moda simplesmente por não fazer parte de uma cultura de massa.

Descubra a relação entre cultura material, moda e consumo

Já entendemos como a cultura material está estruturada e estabilizada em nosso país e no mundo. Mas quando relacionamos esse conceito à moda e ao consumo, percebemos que há uma forte conexão entre todos eles.

Além disso, compreendemos como a moda e o consumo, de forma individual, estão relacionados à cultura. De forma geral, a moda de diferentes localidades representa costumes e identidade pessoal.

Reflita sobre a conexão entre pessoas e seus desejos materiais. Os objetos materiais sempre fizeram parte das nossas vidas e a prática da compra é algo que carregamos há muitas décadas.

Cultura material, moda e consumo andam juntos

A moda não é somente o que está nas passarelas de desfiles famosos ou nas comunidades. O estilo engloba tudo que faz parte da sociedade no quesito vestimenta. E, assim, nota-se que o consumo também faz parte dos costumes sociais.

É fundamental que os designers de moda tenham um conhecimento prévio sobre o impacto das tendências ao longo dos anos. A cultura influencia diretamente nos costumes de um povo e, consequentemente, no desenvolvimento das peças.

Por isso, o profissional da indústria da moda deve acompanhar as transições culturais de uma localidade, de forma micro e macro. Faz parte do papel da carreira do designer de moda questionar as reflexões do consumo e da própria moda nos mais diversos cenários.

Compreenda o papel do designer de moda no contexto da cultura material

O designer é o profissional qualificado para desenvolver projetos envolvendo arte, seja utilizando meios tecnológicos ou não. Essa profissão abrange diversas áreas, como designer de interiores, designer de modas e até mesmo designer de jogos.

As peças de vestuário características de alguma região — como aquelas utilizadas nos blocos de carnaval — são patrimônio cultural.

O indivíduo que trabalha com Design e moda deve estar ciente disso. Há tecidos, cores e texturas específicas que representam um grupo social, uma região e toda uma cultura. Nota-se que a moda é um grande acontecimento cultural que engloba todos.

Agora você já sabe tudo sobre cultura material! Essa é uma pauta imprescindível à sociedade. Por isso, é de suma importância prestar bastante atenção a essas questões. Essas situações influenciam diretamente os membros de um grupo social.

O que achou do texto? Se você quer saber mais sobre o assunto, o IED preparou um curso exclusivo sobre Design e inovação: consumo e cultura material. Clique e saiba mais!