O branding é o nome dado ao trabalho de gestão das marcas. Com a ajuda dessa estratégia, empresas do mundo inteiro conseguem criar uma imagem positiva na mente das pessoas.

Mais do que um logotipo, as marcas têm um propósito, identidade e valores. E tudo isso faz parte do branding!

Apesar de não ser um processo de gestão simples, essa tática pode ser adotada por empresas de todos os tamanhos. Inclusive, você mesmo pode usá-la para fortalecer sua marca pessoal, sabia?

Os resultados não surgem da noite para o dia, mas rendem bons frutos em longo prazo.

Continue lendo o artigo para ficar por dentro do assunto!

Tenha uma experiência diferente com os conteúdos do blog Design e Mercado. Experimente a versão narrada do nosso conteúdo. Basta dar um play abaixo ou fazer o download para ouvir offline!

Branding e marca: entenda a diferença entre os dois conceitos

Para garantir que nenhuma dúvida fique no ar antes de a gente se aprofundar no tema principal, é importante explicar em detalhes cada um desses conceitos.

Uma marca vai além dos elementos da sua identidade visual

Se você perguntar o que é uma marca para alguém que não trabalha com marketing, Design ou comunicação, provavelmente a resposta estará ligada ao logotipo.

Também é comum as pessoas associarem a marca a outros elementos da identidade: cores, nome da empresa ou produto e slogan.

A marca é tudo isso!

Mas ela também inclui um conjunto de experiências e sentimentos, que podem ser diferentes para cada pessoa. Afinal, os contextos individuais influenciam essa percepção.

Entretanto, é claro que não depende apenas dos clientes.

As marcas que sabem entregar uma experiência incrível são as que se diferenciam, saem na frente da concorrência e se tornam poderosas.

O poder do branding na construção de marcas de sucesso

Ainda que ninguém tenha 100% de controle sobre como uma empresa é percebida, a estratégia de branding ajuda a moldar a percepção do público.

É um trabalho muito importante, pois o sucesso de uma marca depende do reconhecimento e da admiração das pessoas.

E como isso é possível? 

Para fazer uma gestão de marca eficiente, as empresas precisam tomar diversas atitudes. Por exemplo:

  • planejar em longo prazo;
  • desenvolver uma identidade visual forte;
  • ter uma boa reputação;
  • saber se posicionar no mercado;
  • despertar sensações;
  • aumentar sua visibilidade e relevância.

Todas essas ações fazem parte do trabalho de branding. Quando colocadas em prática do jeito certo, elas conseguem conquistar a confiança dos clientes. Consequentemente, faz com que eles desejem os produtos da marca.

Isso porque essa estratégia ajuda a mostrar o propósito e os valores da empresa. Se eles estiverem alinhados à visão de mundo do cliente, o desejo se torna ainda mais forte.

Como as empresas podem usar o branding para se destacar no mercado?

Você já deve ter notado que o branding faz muito mais do que apenas ajudar uma marca a ser reconhecida. É o que influencia as pessoas a criarem uma relação sentimental com as marcas.

Segundo um estudo feito pelo Customer Thermometer, mais de 65% dos consumidores têm conexão emocional com uma empresa.

Ou seja, a gestão de marca também ajuda a fidelizar os clientes. É bem mais vantajoso, inclusive financeiramente, do que conquistar novos consumidores.

Entretanto, conquistar o público não deixa de fazer parte dos objetivos dessa estratégia. Além de uma primeira impressão positiva, isso depende da identificação com a marca.

Ok, agora você entendeu o propósito do branding. Mas, como esse processo acontece na prática? Bom, vamos lá!

De forma geral, para qualificar uma marca, a equipe precisa primeiro entender o comportamento dos consumidores. Isso depende de ações de monitoramento, aplicação de pesquisas e estudo de tendências.

Então, os dados coletados devem ser interpretados. Com base neles, é possível pensar nas melhores estratégias de comunicação e marketing.

A importância de mostrar o valor real da marca

Vale lembrar que essas ações jamais podem ser isoladas do resto. Elas têm que, obrigatoriamente, ter alinhamento com a essência da empresa. 

Mais do que uma identidade visual bonita, as ações devem mostrar o valor real da marca. E por que a gente está falando disso? 

Porque o branding precisa estar com os pés dentro da realidade. De nada adianta uma empresa fingir ser algo que não é.

O que vai fazer com que uma organização se torne líder no mercado é a força da sua marca.

No entanto, para se fortalecer, outros aspectos são fundamentais: qualidade dos produtos e serviços, preço de venda atrativo, bom relacionamento com os clientes, entre outros.

Também não podemos deixar de dizer que nada disso é definitivo.

O branding é um processo contínuo que precisa acompanhar a evolução da marca, as demandas dos clientes e as mudanças do mercado.

Que tal apostar no branding pessoal para se tornar uma autoridade reconhecida?

Usar a estratégia de branding a favor da sua marca pessoal é uma ótima forma de fazer com que seu plano de carreira se torne realidade.

Assim como nas empresas, a gestão de marca ajuda você a ser visto como uma autoridade reconhecida na sua área de atuação. 

Ou seja, dá aquele gás no seu marketing pessoal.

Mas, para dar certo, você precisa ser bom no que faz e se especializar ao máximo para se tornar um verdadeiro expert.

Somado a sua bagagem de conhecimento, o toque de personalidade dado ao branding é o que vai fazer a diferença. Isso tem a ver com a sua visão de mundo e seu próprio estilo. É o que diferencia você dos outros especialistas.

Sendo assim, fique atento à forma como você se expressa e não apenas ao conteúdo. A imagem que você quer passar também pode ser reforçada pelos elementos visuais do seu site, por exemplo.

Isso tudo ajuda as pessoas a lembrar de você e criar uma imagem associada a sua personalidade, que é a sua marca pessoal.

Conheça algumas das principais estratégias de branding usadas pelas empresas

1. Construção ou reformulação da marca

Se quiser começar com o pé direito, você vai precisar construir ou reformular a marca.

Mas, para definir a estratégia e o posicionamento dela, os valores, a visão, a missão e a imagem que a empresa deseja passar devem estar claros.

Portanto, você deve determinar os seguintes pontos:

Propósito

O propósito nada mais é do que a razão de ser de uma empresa. Dessa forma, não é algo inventado, imaginado ou onde se deseja chegar. Ele precisa estar de acordo com a realidade da empresa e com o que o público espera.

Produto

Ainda que pareça estranho, nem sempre os profissionais conhecem os produtos de verdade. Além de saber quais são, você precisa entender a importância deles para o cliente se quiser passar a impressão certa.

Público-alvo

Lembra que falamos sobre o branding ser uma ferramenta para atrair e fidelizar clientes? Pois é, os resultados podem ser ótimos, desde que a empresa conheça bem o perfil dos consumidores e potenciais clientes.

Identidade

A logomarca, slogan, tipografia e cores precisam estar alinhadas ao propósito da empresa. Esses elementos ajudam a dar unidade para as ações de comunicação e marketing.

Desse modo, a linguagem e as mensagens também devem ser construídas com cuidado para garantir que a mesma imagem seja passada nos diferentes canais.

2. Inserção da marca no mercado

Todos os elementos da estratégia anterior aparecem na hora de ativar a marca, ou seja, de apresentá-la ao público. Nesse momento, o branding precisa brilhar!

Isso porque é quando a gestão da marca começa, de fato, a plantar as primeiras sementes para colher os frutos mais tarde.

Além de fazer a marca ser vista por quem interessa, você deve direcionar os esforços para passar a imagem certa para os consumidores. 

Afinal, as ações precisam refletir a personalidade da empresa.

É quando os profissionais envolvidos se dão conta da importância de se conhecer muito bem o público-alvo. Com base nas informações certas, é possível começar a construir uma boa relação com os clientes.

3. Ambientação do ponto de venda

Já reparou no quanto os mobiliários, as cores, os cheiros e até a música presente nas lojas influenciam a nossa experiência?

Não é à toa que esses elementos fazem parte da ambientação de supermercados, farmácias e outros estabelecimentos. Eles têm tudo a ver com o branding.

Ao mesmo tempo em que ajuda a proporcionar uma experiência agradável, o ambiente do ponto de venda é pensado para transmitir uma mensagem específica.

Por isso, o atendimento também entra na conta. O que nos lembra da importância de oferecer treinamento para a equipe de venda e pós-venda.

Juntos, esses aspectos fortalecem a marca, o relacionamento e a fidelização.

4. Marketing de conteúdo

Ser vista como referência em determinado assunto é algo que ajuda uma empresa a fixar sua marca e se destacar. E o marketing de conteúdo é uma ótima ferramenta para atingir esse objetivo.

Por meio de blogposts, infográficos, e-books e outros materiais relevantes para o público, você pode atrair potenciais clientes.

Mais do que isso, esses conteúdos são capazes de convencer os consumidores de que sua marca oferece a solução que eles precisam.

Aos poucos, a empresa se torna autoridade no segmento, fortalecendo a marca e transmitindo as mensagens-chave por meio de seus canais.

5. Redes sociais

As redes sociais fazem parte dos meios de comunicação usados pelo marketing de conteúdo.

Entretanto, elas não servem apenas para divulgar a marca ou compartilhar informações sobre os produtos e serviços da empresa.

A principal vantagem delas é a possibilidade de interagir em tempo real com os consumidores. Portanto, isso deve ser usado como mais um recurso do branding.

Ao responder às mensagens rapidamente, a empresa mostra que se importa com o consumidor. Jamais deixe a pessoa esperando ou sem a resposta que ela procura.

Quanto mais a empresa interage com os usuários das redes sociais, maiores são as chances de elas serem lembradas de forma positiva.

6. Engajamento de colaboradores

Nas estratégias de fortalecimento de uma marca, os colaboradores têm um papel muito importante, sabia?

Afinal de contas, o que se espera é que eles sejam os primeiros a falar bem da empresa. Isso, é claro, se eles estiverem motivados e felizes em fazer parte daquele ambiente de trabalho.

Sendo assim, os funcionários também devem fazer parte da gestão da marca.

Colaboradores engajados são peças fundamentais na criação de uma marca forte e admirada no mercado. Portanto, não podem ficar de fora.

Invista nas melhores estratégias de gestão de marca!

Depois de entender como o branding pode ajudar as empresas e pessoas a se destacarem no mercado, fica difícil fechar os olhos para ele, não é verdade?

A partir das estratégias que a gente compartilhou aqui, você consegue começar esse processo de criação de marcas poderosas!

Mas, se quiser ir a fundo no assunto, nada melhor do que investir em qualificação profissional.

Sabia que o IED tem o que você procura? Conheça o site da instituição e faça a sua inscrição no curso de Branding!