No universo profissional da criatividade, como é o caso do Design, a escolha das cores não é feita aleatoriamente. Sabe por quê? Graças à teoria das cores!

Ela d√° a base que voc√™ precisa para fazer trabalhos que transmitem diferentes mensagens e sensa√ß√Ķes.

Afinal, as cores têm um poder de influência muito forte!

Quer entender melhor como elas funcionam? Ent√£o continue lendo para conhecer melhor a teoria das cores, sua origem e como aplic√°-la em seus futuros projetos.

Tenha uma experi√™ncia diferente com os conte√ļdos do blog 100% Design. Experimente a vers√£o narrada do nosso conte√ļdo. Basta dar um play abaixo ou fazer o download para ouvir offline!

O que é a teoria das cores?

Se você pretende trabalhar com Design ou em outras áreas ligadas às artes e comunicação, estudar a teoria das cores é fundamental.

Isso porque ela explica como as cores s√£o criadas, como elas se relacionam e se complementam, de que maneiras podem ser combinadas e quais sensa√ß√Ķes cada cor transmite.

De onde ela surgiu?

Para entender como a teoria das cores foi conceituada, a gente precisa pensar no que é a luz. Isso porque sem luz, não existe cor.

A luz branca é composta de infinitas cores, e foi justamente o estudo de sua dispersão que fez a teoria nascer.

Um dos primeiros a estudar esse fen√īmeno foi ningu√©m menos que Leonardo da Vinci. A partir dos seus estudos sobre cor, foi poss√≠vel descobrir que o branco √© composto por todas as cores. J√° o preto √© a aus√™ncia delas.

Depois disso, grandes estudiosos, como Isaac Newton, Goethe, Chevreul e Otto Runge, contribu√≠ram para a forma√ß√£o da teoria das cores ‚Äď que vai ser melhor explicada no pr√≥ximo t√≥pico.

Mais recentemente, a cor passou a ser entendida como um fen√īmeno subjetivo, relacionado √† frequ√™ncia das ondas eletromagn√©ticas. Isso explica por que a percep√ß√£o das cores varia de esp√©cie para esp√©cie.

As cores também começaram a ser estudadas pela Psicologia por causa da sua relação com o nosso emocional.

Entenda como funciona o círculo cromático

O c√≠rculo crom√°tico, tamb√©m chamado de ‚Äúroda das cores‚ÄĚ, ajuda a gente a entender como as cores se relacionam. √Č ele que as organiza de forma sequencial.

A partir dessa sequência fica fácil localizar as diferentes cores, criar novos tons e compor paletas cheias de significado para diferentes projetos visuais.

Para clarear as ideias, veja a seguir quais categorias de cores formam o círculo cromático e as suas possibilidades de combinação:

Cores prim√°rias

Formadas pelo amarelo, vermelho e azul, são chamadas de primárias porque não podem ser criadas a partir de outras cores. Mas é a partir da combinação entre elas que outras cores do círculo cromático nascem.

Cores secund√°rias

As cores secundárias surgem da mistura entre duas cores primárias. O laranja, por exemplo, é formado por amarelo e vermelho; o roxo, pela junção do vermelho e azul; e o verde, por amarelo e azul.

Cores terci√°rias

Como você já deve imaginar, as cores terciárias são formadas pela combinação entre uma cor primária e uma secundária. Assim, as possibilidades se multiplicam, completando a roda das cores.

Cores an√°logas

Podendo ser formadas por cores primárias, secundárias e terciárias, as cores análogas são aquelas que possuem tonalidades em comum. Por isso, ficam uma do lado da outra no círculo cromático.

Cores complementares

Por outro lado, as cores complementares ficam diretamente em oposição dentro do círculo. Criam um contraste bem forte. Esse é o caso, por exemplo, do roxo e amarelo, vermelho e verde, azul e laranja.

Cores complementares divididas

H√° tamb√©m as cores complementares divididas, em que a ideia √© usar as cores ao lado da cor complementar. Assim, usa mais op√ß√Ķes de tons para criar o efeito de contraste.

Combinação triádica

A combina√ß√£o tri√°dica √© formada por tr√™s cores equidistantes no c√≠rculo, ou seja, que formam um tri√Ęngulo. Ela cria efeitos vibrantes e, ao mesmo tempo, garante a harmonia entre as cores.

Combinação tetraédrica

J√° a combina√ß√£o tetra√©drica forma um ret√Ęngulo na roda das cores, que inclui dois pares de cores complementares. Ou seja, d√° para criar v√°rias combina√ß√Ķes nas quais uma cor √© dominante e as demais funcionam como auxiliares.

Qual a import√Ęncia da teoria das cores para o Design?

Qualquer um que pretende seguir carreira no Design vai aplicar a teoria das cores em diversos projetos.

Como a gente já viu aqui, a escolha das tonalidades não é feita à toa e nem depende das preferências dos profissionais.

Os designers precisam partir da inten√ß√£o na hora de definir as cores a serem usadas em seus projetos, sejam eles materiais gr√°ficos, ilustra√ß√Ķes, sites ou aplicativos.¬†

Ou seja, a partir do impacto visual da combina√ß√£o de cores quais sensa√ß√Ķes cada projeto deve provocar.

Al√©m disso, √© preciso levar em conta como a cor ajuda a deixar um design mais claro, a destacar informa√ß√Ķes importantes e a compreender uma mensagem.

5 dicas de como usar a teoria das cores em projetos

1. Parta da intenção do projeto

Antes de tudo, tenha em mente qual √© o objetivo do trabalho. Entenda a mensagem que deseja passar por meio do visual, al√©m de refletir sobre as sensa√ß√Ķes a serem provocadas.

2. Dê atenção ao contraste

Al√©m de pensar na harmonia entre as cores, voc√™ tamb√©m deve ficar atento ao contraste. √Č ele que vai ajudar a pessoa a encontrar as informa√ß√Ķes mais importantes rapidamente.

3. Busque a harmonia certa

Tente variar suas paletas de cores sem deixar a harmonia de lado. No caso de projetos ligados ao meio ambiente, por exemplo, a combinação entre cores análogas funciona bem. Afinal, simula a harmonia encontrada na natureza.

4. Pense no período de interação

O tempo de interação com a pessoa também influencia a escolha das cores, sabia? Em razão disso, para layouts grandes, talvez seja preciso evitar o uso de tons complementares ou reduzir a presença das cores vibrantes, pois elas cansam a vista.

5. Confie no esquema tri√°dico

Ele é considerado o mais seguro de usar. Por ficar entre o análogo e o complementar, as cores não entram em conflito e não se misturam. Você pode ficar em duas cores e deixar a terceira para detalhes, dando uma leveza para o seu trabalho, por exemplo.

Pronto para colocar a teoria em pr√°tica?

Para entender a teoria das cores de verdade, só aplicando o que você aprendeu aqui nos seus futuros projetos.

Agora, além de contar com a sua intuição, você tem o conhecimento necessário para realizar trabalhos cada vez mais impressionantes.

E a√≠, curtiu este conte√ļdo? Se quiser ficar por dentro das novidades e outros temas interessantes do Design, assine a nossa newsletter e siga o IED S√£o Paulo no Facebook e Instagram!