O designer está sempre em busca de soluções criativas para a vida das pessoas. Mas nem todos entendem o papel que esse profissional tem no mundo.

Sonha em contribuir com a sociedade por meio da criatividade? Então agora é a hora de desvendar todos os mistérios da profissão.

Para ajudar você nessa missão, vamos abordar aqui os seguintes tópicos:

  • o que faz um designer;
  • o perfil dos profissionais da área;
  • as principais tendências no mercado de design;
  • designers brasileiros de sucesso: conheça um pouco do trabalho deles.

Bora conferir!

O que faz um designer?

Com o peso que o visual  e a usabilidade vêm ganhando no mundo físico e online, as atividades do designer se tornaram ainda mais diversas. Tanto é que o campo de atuação cresceu e hoje existem diferentes possibilidades. 

Veja quais são algumas das principais da carreira:

Designer gráfico

Talvez por conta do nome, o designer gráfico ficou conhecido por ser o responsável pela criação de logotipos e diagramação de materiais impressos. 

Mas fique sabendo que esse profissional faz muito mais do que isso.

Basicamente, ele trabalha com todos os elementos da comunicação visual. Ou seja, tipografias, imagens, cores e ilustrações.

É preciso conhecer muito bem os efeitos produzidos por esses elementos para criar projetos que passem uma mensagem específica, tenham a ver com uma marca ou transmitam um sentimento.

Uma infinidade de materiais pode fazer parte desses projetos, como identidade visual, folhetos, websites, e-books, embalagens, entre outros.

Se você quiser trabalhar nesta área, saiba que é possível encontrar oportunidades em agências de comunicação, estúdios de design e empresas. Há ainda os que preferem trabalhar por conta própria como freelancer ou abrir o próprio estúdio.

Tem também os designers apaixonados por ilustração que decidem trabalhar em mercados específicos, como editorial, publicidade, games etc.

Designer de produto

Já o designer de produto é aquele que precisa pensar mais na funcionalidade dos objetos. 

Ao criar um novo móvel, calçado, utensílio doméstico, carro e qualquer item, esses profissionais devem se preocupar com uso que o produto vai ter.

Além de desenhar o objeto, os designers de produto definem quais materiais, tecnologias e processos devem ser usados na produção.

Sempre levando em conta os conceitos mais importantes para cada projeto, como, por exemplo, inovação, conforto e sustentabilidade.

Por isso, são bastante procurados na indústria. 

Mas fique sabendo nem todo mundo escolhe trabalhar com a parte de criação. Existem profissionais que preferem lidar com as questões técnicas de fabricação, gestão de processos ou pesquisa de materiais.

Dessa forma, também é possível trabalhar em escritórios de design, empresas de consultoria ou como autônomo.

Designer de moda

O designer de moda é quem cria, desenha e desenvolve coleções para marcas de todos os tipos. Além de peças de roupas, desenha estampas e acessórios.

Apesar de a profissão ser bastante glamourizada, saiba que este não é o único caminho que pode ser seguido por quem se forma na área.

O designer pode exercer outras atividades importantes no mundo da moda. Entre as opções de carreira estão:

  • produtor de moda;
  • modelista;
  • caçador de tendência;
  • personal stylist;
  • auxiliar ou coordenador de estilo;
  • gerente de produção;
  • vitrinista;
  • consultor de moda.

Esses profissionais encontram oportunidades de trabalho em lugares como empresas de moda, indústria têxtil e consultorias. 

Abrir a própria marca também é uma opção e um sonho para muita gente.

Designer gráfico Qual é o perfil do designer?

Embora não exista um único perfil, mas vários, certas características são importantes na vida de todo designer. Confira algumas delas, a seguir:

É antenado

O design é uma dessas áreas onde as coisas mudam muito rápido, pois sofrem os impactos do contexto do momento. 

Portanto, se você quiser se destacar, precisa ficar ligado nas principais tendências do design.

Acompanhe os maiores profissionais da área e os meios de comunicação especializados para saber o que anda rolando. Com boas referências, a qualidade do trabalho só aumenta.

Curte arte e cultura

O gosto por arte e cultura é provavelmente o que fez você se interessar pela carreira de designer, não é?

Fique sabendo que os profissionais mais bem-sucedidos nunca deixam os eventos e as referências culturais de lado. Afinal, eles só enriquecem os projetos.

É por meio da arte que os designers aumentam seu repertório e fazem composições cada vez mais ricas e diferenciadas.

Sabe dialogar

Para defender as suas ideias, você precisa saber dialogar com as pessoas, mesmo aquelas que têm visões de mundo diferentes da sua.

Afinal, além de executar, um bom profissional é aquele que propõe, expressa sua personalidade e consegue defender seus trabalhos.

Tem senso estético

Senso estético é mais do que dizer se algo é bonito. É a habilidade de apontar o que é agradável aos sentidos.

E como desenvolver essa habilidade? Por meio de muito estudo e contato com o universo da arte.

Trabalha bem em equipe

Não é só nas grandes empresas que essa característica é valorizada. Mesmo que você decida ser freelancer, saber trabalhar em equipe é importante, sabia?

Interagir com outros profissionais, clientes e parceiros sempre faz parte do trabalho. Nenhum designer atua de forma totalmente independente.

Gosta de tecnologia

No design, é quase impossível fugir da tecnologia. Isso significa que é importante você ter uma afinidade com ela se quiser se dar bem na profissão.

Seja qual for a área que você escolher, os programas de computador vão ser seus parceiros de trabalho.

Veja quais são as principais tendências no mercado de design

Sustentabilidade

Todos nós temos acompanhado os desastres ambientais acontecendo pelo mundo. Por isso, a sustentabilidade fazer parte das tendências no design não é motivo de surpresa.

Em diferentes indústrias, este é um dos maiores desafios. Afinal, obriga as pessoas a criarem novos modos de produção, menos agressivos e que consumam menos recursos.

Além da energia que a criação de muitos produtos demanda, existem questões como o desperdício e a poluição, que precisam ser contornadas.

E os designers também têm um papel importante nessa transformação.

Tanto é que o conceito de sustentabilidade começou a fazer parte da concepção de novas marcas, que se comprometem a respeitar o meio ambiente.

Inovação no uso de materiais

Seguindo a mesma linha, os materiais usados também precisam ser repensados. E esse movimento tem sido impulsionado pelos próprios consumidores, que pesquisam sobre os produtos antes de comprar.

Mas não é só a questão ambiental que gerou tal tendência.

A cultura da inovação faz parte disso. Os designers estão aproveitando essa onda para incluir diferentes tipos de materiais em suas criações. Alguns estão inclusive redescobrindo técnicas ancestrais que tinham sido esquecidas.

Isso sem falar nos cientistas que vêm desenvolvendo novos materiais, criando ainda mais possibilidades para o design.

Formas geométricas

No lugar das formas mais abstratas e fluidas, os padrões geométricos parecem ter sido os preferidos entre os designers.

As formas geométricas têm uma aparência mais rígida, com arestas sólidas que criam um contraste maior com os outros elementos. Assim, fica mais fácil destacar e chamar a atenção das pessoas para o que é mais importante numa imagem.

Designer de produtoDiversidade e inclusão

Assim como qualquer outra área, o design não tem como fechar os olhos para a urgência de valorizar a diversidade e a inclusão.

Isso vai além da obrigação que as empresas de design têm de contratar profissionais de todas as raças, gênero, classe e orientação sexual para cargos de diferentes níveis.

A descriminação não pode existem em nenhum lugar, ou seja, nem no ambiente de trabalho nem nas criações dos designers. Afinal de contas, a visão de mundo e os valores de cada pessoa se refletem no trabalho.

Por isso, na hora de desenvolver imagens, roupas ou qualquer produto, os designers não podem deixar de levar em conta a diversidade. Isso inclui pensar, também, no público para quem a criação foi feita.

Ilustração

Outra forte tendência é a ilustração, que estão por todos os lados, ganhando cada vez mais espaço no design. Isso porque a ilustração apresenta algumas vantagens.

Uma delas está relacionada com a tendência anterior. Em certas situações, as ilustrações permitem manifestar uma pluralidade maior do que uma fotografia, que tem mais limites de representação.

E acaba ajudando as criações a fugir do convencional, podendo ter personalidade própria por meio dos estilos de desenho, traços e combinações de cores.

Ainda, o uso de fotos pode tornar os projetos mais caros, por conta do pagamento de direitos autorais.

Isso não quer dizer que a fotografia tenha perdido o seu lugar, ok? Apenas que a ilustração começou a oferecer mais possibilidades criativas para os designers.

Minimalismo

O minimalismo é uma tendência que começou na arquitetura, mas que se tornou global, atingindo outras áreas.

Como o nome dá a entender, a proposta é tirar tudo o que é excesso, deixando apenas o essencial. Essa ideia pode ser aplicada em vários segmentos do design.

Pense na aplicação do minimalismo em um website, por exemplo. Em vez de páginas cheias de informação, ele vai ter apenas o que é fundamental para o usuário, poucas cores e elementos visuais.

Além da estética, o minimalismo se relaciona com um estilo de vida e lógicas de consumo mais conscientes, sabia?

Por isso, na hora de criar um produto novo, os designers devem se questionar se o objeto é realmente necessário para as pessoas.

Cores suaves

Se você olhar com mais atenção o seu feed do Instagram, vai reparar que as ilustrações têm usado, principalmente, cores mais suaves.

Em vez de cores vivas, os designers têm dado preferência a cores com baixa saturação. Isso porque elas transmitem uma sensação de proteção e segurança. Para algumas pessoas, podem até ser nostálgicas.

Ao mesmo tempo, a paleta de cores suaves é associada ao que é natural. Não é à toa que essas cores são muito usadas por marcas de bem-estar.

Designer de modaDesigners brasileiros de sucesso: conheça um pouco do trabalho deles

Alexandre Wollner

Conhecido como o “pai do design moderno brasileiro”, Alexandre Wollner foi um dos designers gráficos mais bem-sucedidos do país.

As embalagens das sardinhas Coqueiro e a logomarca do banco Itaú são alguns dos seus trabalhos mais famosos.

Ainda, sua contribuição teórica foi tão importante que ajudou a formar a ideia da profissão de designer gráfico no Brasil.

Ana Couto

A designer Ana Couto já desenvolveu projetos importantes para grandes empresas, como Coca-Cola, Alpargatas, Buscapé, Dafiti, entre outras.

Ela sabe como ninguém usar o design como uma ferramenta poderosa para construir e renovar marcas. Tanto é que já foi jurada do Festival de Criatividade de Cannes.

Mas não é só pela parte criativa que a designer se destaca no mercado. Ana Couto se importa com as causas sociais e reconhece o papel do design na transformação da realidade.

Luciano Drehmer

Formado pelo IED, Drehmer é consultor de marca e tem mais de 15 anos de experiência no mercado. 

Foi executivo de Design da Amazon China, tem participação em estúdios nos Estados Unidos e colaborou com empresas como Nike e Google.

Partiu ser designer?

A nossa ideia aqui foi clarear as ideias sobre a carreira de designer para quem se interessa pela área. E esperamos que tenha dado certo!

Se você ainda tem dúvidas, não se preocupe. Escolher uma profissão não é uma tarefa simples. Por isso, não deixe de continuar se informando.

Se quiser receber conteúdos interessantes e dicas sobre faculdade, carreira e mercado de trabalho, assine agora a newsletter do IED!