IED | Istituto Europeo di Design
Você está em:
TUDO SOBRE O #IEDNAFLIP 2017

Tudo sobre o #IEDnaFLIP 2017

Na última semana estivemos em Paraty participando da Casa Do Papel, como já contamos aqui na Revista IED. Com uma intensa programação de talks, debates e oficinas, o coordenador Fabio Silveira e os professores Alex Mazzini e Ivan Zumalde aproveitaram para lançar oficialmente o curso de One Year em Design Editorial.

As experiências foram um sucesso entre o público presente e a Casa (do Papel) recebeu em média 1.000 visitantes interessados nas experiências gráficas e literárias por dia – incrível!

 

Conversamos com Fabio Silveira ao final do evento. Confira:

 

IED – Como foi a experiência #IEDnaFLIP na Casa do Papel para você?
Fabio – Incrível. Não tem outra palavra. Achei super incrível. Acho que teve uma super boa impressão. Primeiro porque a Casa (do Papel) foi uma delícia, super bem organizada, com um público de altíssima qualidade – o que é super importante – formado por muitas pessoas da área e leigos que se mostraram interessados no universo do Design Editorial e no curso. Particularmente eu fiquei bastante emocionado e empolgado com a participação na casa e creio que tive a oportunidade de passar qual era a nossa visão do Design Editorial frente aos outros participantes.
Eu acho que a participação do IED na Casa é de extrema importância por se conectar com esse público jovem, antenado, a galera formadora de opinião bacana, da área de livros e desse renascer da área editorial de livros. E esse estar presente e ser anunciado a todos nas rodas, nos workshops, nas oficinas, nas palestras… é muito rico. Várias pessoas vieram falar comigo pós-evento totalmente interessados, falando sobre o quão acharam interessante o trabalho IED e que viram os cursos no site e que se interessaram em fazer os cursos mesmo não sendo de São Paulo….

IED – O One Year propicia esse ‘intercâmbio’ né?
Fabio – O One Year, principalmente! Pessoas de Vitória, Salvador, Brasília… além, é claro, da galera de São Paulo – inclusive de áreas que não o Design. Pois eles conseguiram entender o quanto o curso poderia engrandecer o caminho profissional deles.
Então, ter a oportunidade de mostrar isso e como eu estruturei o curso… isso tudo foi fantástico, sabe? O IED marcando pela primeira vez presença na principal feira de literatura do hemisfério sul e dando super importância para a participação nesse mercado – eu acho que foi um primeiro grande passo.

 

 

IED – Conta um pouquinho de como foram as oficinas?
Fabio – Foi extremamente positivo! Inicialmente eu não tinha muitos dados em relação ao público que frequentaria… a primeira oficina foi a de Capa de Livros utilizando o recurso de recorte de papel com colagem e técnica de ilustração. Veio um público hiper interessado – foi uma das oficinas mais cheias -, teve uma repercussão bacana não apenas para os participantes que me deram feedbacks ótimos e emocionados mas, também, para as pessoas que estavam na Casa do Papel. As pessoas viram esse movimento e, a partir dali, entenderam qual é a do IED. Porque ver o IED na prática (representado não apenas por mim como por dois professores parceiros: Ivan Zumalde e Alex Mazzini), isso traz uma força para as pessoas verem quem são os profissionais com quem eles vão lidar.

 

 

IED – E qual a maior mensagem editorial que fica dessa primeira participação do IED na FLIP?
Fabio – O IED está levantando a bandeira de uma faculdade que se preocupa em levantar a bandeira desse novo caminho do editorial, que é capitaneado pelas principais editoras do modelo independente, como a Lote 42, com o pessoal da Casa da Porta Amarela (outra casa que estava aqui na Festa de Paraty com produtores independentes) e que também estava em contato com o IED, mesmo que nós não estivéssemos naquela casa, pois eles vieram aqui (Casa do Papel), eu fui até lá, conversei com vários editores e tal… o IED realmente conseguiu se fazer presente aqui na FLIP.
Eu acho que a cobertura nas redes sociais foi um ganho também. Muita gente me acessou, teve um movimento importante nas redes. A participação foi, de novo, extremamente positiva. E eu acho sim que o off Flip teve uma força muito grande, divulgando material na FLIP e isso também ajudou na visibilidade. Nós alcançamos cerca de 1.000 pessoas por dia na Casa (do Papel) – o que eu considero um impacto importante para esse primeiro evento.

 

 

Você ainda pode fazer parte da primeira turma de One Year em Design de Editorial (com módulo internacional em Madri) e coordenação do Fabio. Confira todos os detalhes em: http://iedm.io/design-editorial-iedsp

 

#IEDNAFLIP | CASA DO PAPEL OFERECE EXPERIêNCIAS GRáFICAS NA FLIP 2017

#IEDnaFLIP | Casa do Papel oferece experiências gráficas na FLIP 2017

Público aprenderá gratuitamente técnicas de serigrafia, tipografia, carimbo e encadernação

 

 

Durante a Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), de 26 a 30 de julho, a Casa do Papel, um espaço dedicado à arte gráfica, abrirá suas portas pela primeira vez. Ao longo do dia, impressores, encadernadores e designers estarão à disposição do público para ensinar técnicas de serigrafia, tipografia, encadernação e carimbos. As atividades serão gratuitas.

A Casa do Papel é uma iniciativa da fabricante de papel italiana Fedrigoni, IED (Istituto Europeo di Design), ABER (Associação Brasileira de Encadernação e Restauro) e editora Lote 42, localizada na avenida Otávio Gama, 118.

Interessados poderão se dirigir à Casa do Papel para fazer experimentações práticas de diversas técnicas de impressão e acabamento. A encadernação será ensinada por profissionais da ABER, sob supervisão da presidente Estela Vilela. A Sutto comandará as impressões em serigrafia; a Oficina Tipográfica São Paulo operará a tipografia e as técnicas de carimbo serão mediadas pela editora Gráficafábrica. Profissionais da Fedrigoni estarão à disposição para esclarecer dúvidas relacionadas aos diferentes tipos de papel.

É a primeira vez na história da Flip que uma casa será dedicada a pensar na dimensão física do livro, indo do papel, passando pelas técnicas de impressão, pelo design gráfico e até o acabamento. Chega em um momento no qual uma nova geração de artistas e editores extrapola os limites da materialidade de suas publicações.

Nos últimos anos, eventos dedicados a publicações que misturam literatura e arte visual se espalharam pelo Brasil. São Paulo (feira Miolo(s), Plana, Tijuana), Rio de Janeiro (Pãodeforma), Salvador (Paraguassu, Ladeira), Brasília (Dente, A Outra Margem), Florianópolis (Parque Gráfico), Porto Alegre (Parada Gráfica), Curitiba (Grampo), são alguns exemplos de cidades com eventos dedicados ao movimento.

A Casa do Papel também oferecerá oficinas, debates, lançamentos, exposição e cinema, com intensa programação da manhã à noite. Confira a programação em parceria com o IED SP:

 

Quarta, 26/07

17h
O papel do papel: um papo a favor da fibra

Com milênios de idade, o papel continua com muito a dizer. Na abertura oficial do espaço, descubra as possibilidades expressivas que só o livro impresso pode alcançar. Saiba também como surgiu o namoro de uma marca de papel, uma editora, uma associação de encadernação e um instituto de design para fazer a Casa do Papel.
o papel do papel: um papo a favor da fibra
com: Cecilia Arbolave (Lote 42), Estela Vilela (Aber), Hide Silva (Fedrigoni)
e Ricardo Peruchi (Istituto Europeo di Design)
#debate

Quinta, 27/07

10h
Design de Capas de Livros

Esta oficina fará uma experimentação criativa na criação
e desenvolvimento de capas para livros. Haverá uma exposição de conceitos e exploração do uso de linguagens visuais variadas para traduzir o espírito de uma obra literária através dos recursos de design.
#oficina gratuita – vagas limitadas

11h30
Infografia para Livros

Alex Mazzini, da editora Altamira e professor do IED São Paulo, apresenta técnicas de como construir infográficos utilizando o pensamento visual [Visual Thinking] para organização de informações. Serão abordados os principais recursos de diagramas, gráficos variados, fluxogramas, gráfico de correlação, etc.
#oficina gratuita – vagas limitadas

13h30
Novo perfil do profissional de design editorial

com Alex Mazzini, Fabio Silveira e Maria Helena Pereira da Silva (IED)
#conversa

15h30
Esgotados, esquecidos, malditos e não editados

com Ric Peruchi (IED)
#conversa

18h
Arte (na) Gráfica

Quando se pensa na dimensão física do livro, um leque de possibilidades narrativas se abre. Neste encontro, impressores, editores e artistas que dominam a arte gráfica compartilham suas referências e escolhas, além de mostrar por que técnicas centenárias permanecem atuais como nunca.
arte (na) gráfica
com: Claudio Rocha (Oficina Tipográfica São Paulo), Gilberto Tomé (Gráficafábrica), Gustavo Piqueira (Casa Rex) e Sílvia Nastari (Quelônio). Mediação de Fabio Silveira (Istituto Europeo di Design)
#debate

Sexta, 28/07

10h
Criatividade e Inovação no Mercado Editorial

Como podemos repensar novos modelos de negócio para o mercado editorial? Esta oficina vai provocar nos participantes a reflexão, trabalhando dinâmicas de inovação em design para propor uma experiência de compartilhamento de ideias e soluções para este mercado. Os facilitadores Ivan Zumalde e Fabio Silveira usarão dinâmicas de grupo e processos manuais em sua metodologia
com: Ivan Zumalde e Fabio Silveira
#oficina gratuita – vagas limitadas

13h30
Livros sem palavras

com Maria Helena Pereira da Silva (IED)
#conversas

 

Saiba mais sobre o evento e faça a sua inscrição nas oficinas em http://iedm.io/acasadopapel

SalvarSalvarSalvarSalvar

Rua Maranhão, 617
Higienópolis
01240-001
+55 11 3660 8000

SÃO PAULO RIO DE JANEIRO MILANO ROMA TORINO VENEZIA FIRENZE CAGLIARI COMO BARCELONA MADRID